Diferenças sexuais em respostas relacionadas aos componentes sensoriais e afetivos emocionais da dor crônica em camundongos submetidos ao isolamento social

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-12-15

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Os quadros de dor crônica apresentam alta prevalência mundial, afetando em maior proporção indivíduos do sexo feminino. Experimentar uma ameaça social elevada pode manter e exacerbar dores crônicas. Além disso, os quadros de dores crônicas são constantemente relacionados com psicopatologias, desencadeando nos diferentes sexos alterações progressivas emocionais e de humor, como ansiedade e comportamentos do tipo depressivo. Desta forma, o estudo tem como objetivo avaliar alterações nas respostas dolorosas e nos componentes afetivos emocionais de camundongos fêmeas e machos que foram submetidos ao estresse do isolamento social. Para realizar essa investigação, a constrição do nervo isquiático foi utilizada como modelo para a indução de dor crônica nos animais; o teste de Von Frey para avaliar a hipersensibilidade mecânica e a escala facial de dor como um parâmetro para a quantificação de aspectos afetivos da dor. O teste de labirinto em cruz elevado foi utilizado para a análise das respostas associadas com ansiedade; e o teste de esguicho de sacarose, construção de ninho, ganho de peso e estado da pelagem para avaliação de comportamentos relacionados à depressão. Os resultados demonstraram que a constrição do nervo isquiático e o isolamento social foram capazes de induzir hiperalgesia mecânica e aumento de respostas relacionadas à ansiedade e à depressão nos camundongos fêmeas e machos. Quanto ao dimorfismo sexual, foi observado que apenas as fêmeas apresentaram aumento na expressão facial de dor, piora no estado da pelagem e prejuízo na construção do ninho quando alojadas individualmente. Demonstrando assim que o isolamento social é capaz de induzir alterações comportamentais sexualmente dimórficas em animais submetidos à constrição do nervo isquiático.
Chronic pain conditions have a huge worldwide prevalence, affecting women in a higher proportion. The experience of high social stress can maintain and exacerbate chronic pain. In addition, there is a relevant correlation between chronic pain and psychopathologies, triggering progressive emotional and mood changes sex-dependent, such as anxiety and depressive-like behaviors. The study aims to evaluate changes in pain responses and emotional affective components in female and male mice that have been subjected to the stress of social isolation. For the investigation, sciatic nerve constriction was used as a model for the induction of chronic pain in mice; the Von Frey test was used to assess mechanical hypersensitivity and the facial pain scale was used as a parameter for the quantification of affective aspects of pain. Moreover, the elevated plus maze test was used to analyze responses associated with anxiety; the sucrose splash test and nest building test were used to assess depression-related behaviors. The results showed that constriction of the sciatic nerve and social isolation were able to induce mechanical hyperalgesia and increased anxiety- and depression-like responses in female and male mice. Regarding sexual dimorphism, it was observed that only females showed an increase in the facial expression of pain, a worsening coat state, and impaired nest building when housed individually. These results demonstrate that social isolation can induce sexually dimorphic behavioral changes in animals subjected to sciatic nerve constriction.

Descrição

Palavras-chave

Dor crônica, Diferenças sexuais, Isolamento social, Ansiedade, Depressão, Chronic pain, Social isolation, Sexual differences

Como citar

DIAS, Ana Claudia Braga. Diferenças sexuais em respostas relacionadas aos componentes sensoriais e afetivos emocionais da dor crônica em camundongos submetidos ao isolamento social. 2024. 44 f. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Farmácia) - Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2023.