Caracterização metamórfica de biotita xisto da Unidade Santo Antônio da região de Luminárias - MG

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2019-12-06

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A sul do Cráton São Francisco encontra-se o Orógeno Brasília Meridional. Este orógeno é caracterizado por um sistema de Nappes de cavalgamento deslocadas lateralmente em direção à borda sul do Cráton São Francisco que apresentam gradientes metamórficos distintos. Dentre as Nappes do Sistema de Nappes Carrancas e Andrelândia, o foco de estudo é dado às rochas da Nappe de Luminárias, especificamente o biotita xisto da Unidade Santo Antônio que aflora na porção norte da nappe. A Nappe de Luminárias corresponde a estrutura alongada de orientação NNE-SSW de idade neoproterozoica. Comprende conjunto de rochas xistosas (metapeliticas) e quartzosas que representam parte da sequência de margem passiva do Cráton São Francisco. Esta margem passiva foi metamorfisada durante orogênese Ediacarana – Cambriana, que levou à aglutinação do Gondwana Ocidental. Realizou-se, neste estudo, a caracterização metamórfica das rochas xistosas da Unidade Santo Antônio através de petrografia, microtectônica, química mineral e termobarometria. O biotita xisto Santo Antônio, da porção norte da nappe, é constituído de clorita, quartzo, plagioclásio (albita/oligoclásio), muscovita, biotita e granada, com ilmenita, rutilo, monazita e zircão como acessórios. A associação mineral do pico metamórfico para a porção norte da nappe, em especial para a Unidade Santo Antõnio, é Grt+Bt+Ms+Pl. Os estudos da paragênese, química mineral, e cálculo termobarométrico foram essenciais para obtenção das condições de P e T através do método average PT do THERMOCALC. Os dados obtidos foram: 717ºC (±67ºC) e 7.2 kbar (±3.1 kbar) e 739ºC (±93ºC) e 5.7 kbar (±3.9kbar) respectivamente para duas amostras analisadas. Tais condições registradas nas rochas estudadas são superiores àquelas sugeridas nos outros trabalhos para a área de estudos, e divergem das informações presentes na literatura. A disparidade dos resultados aqui apresentados, em comparação com a literatura, abre caminho para o surgimento de novas hipóteses para explicar o metamorfismo na região. Sugere-se a intensificação dos estudos geoquímicos e termobarométricos para as rochas xistosas da Unidade Santo Antônio, de modo a aprofundar mais as interpretações e discussões quanto ao entendimento geológico local.
At the south of the San Francisco Craton are the Southern Brasilia Orogen. This orogen is characterized by a system of riding Nappes displaced laterally toward the southern edge of the San Francisco Craton that have distinct metamorphic gradients. Among nappes of the Carrancas and Andrelândia Nappe Systems, the focus of this study is given to the schist rocks of the Santo Antônio Unit that emerge in the northern portion of the Luminarias Nappe. This nappe corresponds to the elongated NNE-SSW orientation structure of neoproterozoic age. Its is composed of a set of quartzite and metapelitic rocks that represent part of the passive margin sequence of the São Francisco Craton. This passive margin was metamorphosed during the Ediacaran-Cambrian orogenesis, which led to the agglutination of West Gondwana. This paper is based on the metamorphic characterization of the shists rocks of the Santo Antônio Unit through petrography, microtectonics, mineral chemistry and thermobarometry. The mineral paragenesis observed for the Santo Antônio schist biotite, from the northern portion of the nappe, is Chl + Rt + Ilm + Qtz + Ms + Bt + Pl + Grt, with the presence of retrometamorphic chlorite. The assemblage of the metamorphic peak for the northern portion of the nappe, especially for the Santo Antônio Unit, is Grt + Bt + Ms + Pl, with excess Ilm + Qtz + Ms + H2O. Studies of paragenesis, mineral chemistry, and thermobarometric calculations were essential for obtaining P and T conditions through THERMOCALC average PT method. The data obtained were: 717ºC (± 67ºC) and 7.2 kbar (± 3.1 kbar) and 739ºC (± 93ºC) and 5.7 kbar (± 3.9 kbar) respectively for two samples analyzed. These conditions recorded in the studied rocks are superior than those suggested in other studies for this area, and differ from the information present in the literature. The disparity of the results presented here, compared to the literature, open up a way to new hypotheses and approach to explain metamorphism in the region. It is suggested to intensify geochemical and thermobarometric studies for the schist rocks of the Santo Antônio Unit, in order to further deepen the interpretations and discussions regarding the local geological understanding.

Descrição

Palavras-chave

Geologia, Metamorfismo, Caracterização metamórfica, Nappe de Luminárias, Unidade Santo Antônio, Average PT, Fácies anfibolito, Megassequência Andrelândia, Química mineral, THERMOCALC, Santo Antônio Unit, Anfibolitc facies, Andrelândia megassequence, Mineral chemistry, Luminarias nappe

Como citar