Análise do movimento em cães amputados por meio de plataforma de pressão

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-04-28

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O presente estudo visou avaliar a locomoção de cães que foram submetidos à amputação, alta ou baixa, de um membro torácico ou pélvico, usando a plataforma de pressão. Um total 39 cães atenderam ao critério de inclusão. As causas da amputação foram acidente por veículo automobilístico e uma possível má-formação do membro com presença apenas de parte do fêmur. Estes foram então divididos em quatro grupos: Grupo 1 (n=10) – amputação alta de membro torácico; Grupo 2 (n=10) – amputação baixa de membro torácico; Grupo 3 (n=9) – amputação alta de membro pélvico; e Grupo 4 (n=10) – amputação baixa de membro pélvico. O tempo médio de amputação, excluindo o cão que apresentava má-formação, foram 2,5 anos, 2,8 anos, 1,65 anos e 1,92 anos, respectivamente, para os Grupo 1, 2, 3 e 4. Para a avaliação cinética, os cães foram conduzidos caminhando em linha reta sobre a plataforma de pressão (Tekscan). As análises foram realizadas utilizando o software Walkway 7,0. A velocidade foi mantida entre 0,9 m/s e 1,1 m/s para todos os grupos. Nos cães com amputação do membro torácico, a porcentagem distribuição de peso corpóreo (%DP) foi para o membro contralateral (amputação alta: 50,75%; baixa: 55,53%) e para os membros pélvicos, principalmente no membro ipsilateral (amputação alta: 27,96%, baixa: 27,15%). Na amputação alta do membro pélvico verificou-se %DP de 71,46% para os membros torácicos e 29,68% para o membro pélvico contralateral, ao passo que na amputação baixa notou-se %DP principalmente para o membro pélvico contralateral e torácico ipsilateral. Exceto para o membro contralateral na amputação do membro pélvico baixo e alto com relação à porcentagem de sobrecarga e porcentagem de distribuição do pico de força vertical, em todos os demais não foi notada diferença estatística. Foi possível concluir que a altura da amputação do membro torácico não influenciou na porcentagem de distribuição do peso corpóreo, porém no membro pélvico esta foi maior para o membro contralateral em cães que foram submetidos à amputação alta.
This study aimed to perform the gait analysis of dogs submitted to high or low amputation of one forelimb or hind limb using a pressure-sensitive walkway. A total of 39 dogs met the inclusion criteria. The causes of amputation were car accident, and a possible malformation of the limb with the presence only of a portion of the femur. The dogs were divided into four groups, as follows: Group 1 (n=10) - high forelimb amputation, Group 2 (n=10) - low forelimb amputation, Group 3 (n=9) – high hind limb amputation, and Group 4 (n=10) - low hind limb amputation. The amputation time, excluding the two dogs that presented malformation, were 2.5 years, 2.8 years, 1.65 years and 1.92 years, respectively, for Groups 1, 2, 3 and 4. For kinetic evaluation, the dogs were led walking across the pressure-sensitive walkway in a straight line (Tekscan). The velocity was maintained between 0.9 and 1.1 m/s for all groups. All analysis was performed with Walkway 7.0 software. In dogs with forelimb amputation, the percentage of body weight distribution (BWD) occurred for the contralateral forelimb (high amputation: 50.75%; low: 55.53%) and the hind limbs, mainly in the ipsilateral limb (high amputation: 27.96%, low: 27.15%). In the high amputation of the hind limb, there was %BWD of 71.46% for the forelimbs and 29.68% for the remaining hind limb, while in the low amputation, the distribution was mainly for the contralateral hind limb and ipsilateral forelimb. No statistical difference was noted between type of amputation, except for the contralateral limb in the low and high amputation of the hind limbs concerning to the overload percentage and %BWD. In conclusion, the amputation site of one forelimb did not influence the %BWD, but in the hind limb, this was higher for the contralateral limb in dogs submitted to high amputation.

Descrição

Palavras-chave

Membro, Caminhar, Trauma, Análise cinética, Cães - Amputação, Amputação cirúrgica, Locomoção animal, Distúrbios da locomoção, Traumatologia veterinária

Como citar