O projeto de educação do campo da EMEIEF “Assentamento Zumbi dos Palmares”, município de São Mateus – ES: contribuição para o processo de resistência e fortalecimento do território camponês

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-03-03

Autores

Campos, Arlonio

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Este trabalho de pesquisa e estudo objetivou analisar e compreender como a Educação do Campo e a experiência pedagógica desenvolvida na EMEIEF “Assentamento Zumbi dos Palmares”, contribui para o processo de resistência e fortalecimento do território camponês. Para isso, foi realizado um panorama geral acerca da questão agrária brasileira; um estudo do processo histórico de constituição e luta do MST pelo direito a escola e a uma educação no e do campo; a Educação do Campo como um instrumento de luta e resistência dos povos e comunidades camponesas, em contraposição a Educação Rural, instrumento de reprodução do capital no campo, considerando que a identidade é um território em disputa e sua construção é socioterritorial. A fundamentação teórica da pesquisa se deu a partir da revisão bibliográfica, de caráter qualitativo, por meio da pesquisa participante, o estudo teve como base teórico-metodológica o Materialismo Histórico-Dialético. A coleta de dados foi feita a partir do aproveitamento das respostas de um questionário semiestruturado aplicado aos educadores da escola; observações e relatos dos educadores no cotidiano escolar e análise documental da escola. Como resultado da pesquisa, percebemos que o projeto de Educação do Campo da EMEIEF “Assentamento Zumbi dos Palmares” contribui para o processo de fortalecimento e de resistência da identidade territorial camponesa e a vinculação concreta com as lutas e territorialização da Reforma Agrária Popular, com a presença constante da comunidade e dos movimentos sociais nas ações de planejamento, de execução e de avaliação dos processos pedagógicos desenvolvidos pela escola. Pretende-se, que essa pesquisa sirva de instrumento de estudo e de reflexão do conjunto de Organizações e Movimentos do Campo do Espírito Santo.
This research aims to analyze and understand how Rural Education and the pedagogical experience developed in the EMEIEF “Assentamento Zumbi dos Palmares” contributes to the process of resistance and strengthening of the peasant territory. For this, an overview of the Brazilian agrarian question was carried out; a study of the historical process of constitution and struggle of the MST for the right to school and education in and from the countryside; Rural Education as an instrument of struggle and resistance of peasant peoples and communities, as opposed to Rural Education, an instrument for the reproduction of capital in the countryside, considering that identity is a disputed territory and its construction is socio-territorial. The theoretical basis of the research was based on the bibliographic review of a qualitative nature through participant research. The study was based on Historical-Dialectic Materialism as a theoretical-methodological basis. Data collection was carried out based on the use of responses from a semi-structured questionnaire applied to the school's educators, observations, and reports of educators in the school routine and school document analysis. As a result of the research, we realized that the EMEIEF Rural Education project "Zumbi dos Palmares Settlement" contributes to the process of strengthening and resistance of the peasant territorial identity and the concrete link with the struggles and territorialization of the Popular Agrarian Reform, with the presence community and social movements in the planning, execution and evaluation of the pedagogical processes developed by the school. It is intended that this research serves as an instrument for the study and reflection of the set of Organizations and Movements of Campo do Espírito Santo.
Este trabajo de investigación y estudio tuvo como objetivo analizar y comprender cómo la Educación Rural y la experiencia pedagógica desarrollada en la EMEIEF “Asentamiento Zumbi dos Palmares”, contribuye al proceso de resistencia y fortalecimiento del territorio campesino. Para ello, se realizó un panorama de la cuestión agraria brasileña; un estudio del proceso histórico de constitución y lucha del MST por el derecho a la escuela y a la educación en y desde el campo. La Educación Rural como instrumento de lucha y resistencia de los pueblos y comunidades campesinas, frente a la Educación Rural, instrumento de reproducción del capital en el campo, considerando que la identidad es un territorio en disputa y su construcción es socioterritorial. La base teórica de la investigación se basó en la revisión bibliográfica, de carácter cualitativo, mediante investigación participante. El estudio se basó en el Materialismo Histórico-Dialéctico como base teórico-metodológica. La recolección de datos se realizó a partir de la utilización de las respuestas de un cuestionario semiestructurado aplicado a los educadores de la escuela; observaciones y relatos de educadores en el cotidiano escolar y análisis de documentos escolares. Como resultado de la investigación, percibimos que el proyecto de Educación Rural EMEIEF "Asentamiento Zumbi dos Palmares" contribuye al proceso de fortalecimiento y resistencia de la identidad territorial campesina y el vínculo concreto con las luchas y la territorialización de la Reforma Agraria Popular, con la presencia de la comunidad y los movimientos sociales en la planificación, ejecución y evaluación de los procesos pedagógicos desarrollados por la escuela. Se pretende que esta investigación sirva como instrumento para el estudio y la reflexión del conjunto de Organizaciones y Movimientos del Campo do Espírito Santo.

Descrição

Palavras-chave

Educação no MST, Educação do Campo, Pedagogia do Movimento, Território Camponês, Resistência no Campo, Education in the MST, Field Education, Movement Pedagogy, Peasant Territory, Resistance in the Field, Educación en el MST, Educación de Campo, Pedagogía del Movimiento, Territorio Campesino, Resistencia en el Campo

Como citar