Diálogos entre rap e repente: heterogeneidade discursiva e representação da subjetividade na canção

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2013-02-18

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Considerando o ideal estético que a canção representa, nosso trabalho demonstra, por meio de análise de enunciados, os valores transmitidos pelos sujeitos que se expressam nesses discursos. Observando a pluralidade que compõe a cultura popular brasileira, investigamos os elementos enunciativos constituintes de dois tipos específicos de gêneros discursivos ligados a expressões artísticas veiculadas em contextos particulares, mas propondo um diálogo a partir de suas relações discursivas e sociais dentro de uma dada situação de produção. Focando nos elementos discursivos, entre as linguagens verbais e melódicas dessas manifestações, problematizamos os fatores que se encontram no limiar linguístico e sua relação com o social. Nosso objetivo foi refletir sobre o discurso que constitui as canções de Rap e Repente, bem como o diálogo que há entre esses gêneros cancioneiros, considerando sua linguagem que, no Brasil, apresenta certa influência e representação social. Utilizamos as categorias analíticas do Círculo de Bakhtin, apropriando-nos dos conceitos que abordam a linguagem enquanto interação entre sujeitos num dado contexto. Partindo da hipótese do diálogo intergenérico, nosso corpus foi composto por alguns artistas, dos quais selecionamos canções rap e repente com a finalidade de investigar a pertinência de nossa hipótese: João Paraibano e Sebastião Dias; Kamau; Zé Brown; RAPadura; O Rappa; Thaíde; Caju e Castanha. Ao final da pesquisa, pudemos concluir que a hipótese de diálogo se confirma, levando em conta alguns fatores como o caráter de absorção dos gêneros cancioneiros que propiciou (re)criações. Além disso, acreditamos que a autovalorização de uma nova geração, ouvinte de rap, mas que tomou contato com a produção da cantoria nordestina, busca nessas formas de tradição oral sua identificação enquanto sujeito brasileiro, filho de várias raças e atravessado por múltiplos discursos
Considering the aesthetic ideal that music represents in our country, this work demonstrates through the enunciation analysis, the values transmitted by subjects that expressed themselves in these speeches. Observing the plurality that composes the Brazilian popular culture, we investigated the enunciative elements constituents of two specific types of discursive genres linked to artistic expression that circulates in particular contexts, but proposing a dialogue of their social and discursive relations inside a situation of production. Focusing on discursive elements, between verbal and melodic language of these manifestations, we discussed the factors that are in the limits of language and its relation to the social. Our objective was to reflect on the speech that constitutes Rap and Repente songs, as well as the dialogue that exists between these musical genres, considering their language, that in Brazil has social influence and representation. We use the analytical categories of the Bakhtin Circle, appropriating of concepts that address language as interaction between subjects in some context. To investigate the relevance of our hypothesis of dialogue between genres, our corpus consisted by artists authors of rap and repente songs: João Paraibano and Sebastião Dias; Kamau; Zé Brown; RAPadura; O Rappa; Thaíde; Caju and Castanha. At the end this research, we concluded that the dialogue hypothesis is confirmed, considering the factors as the character of absorption of this musical genres, provided that (re)creations. Furthermore, we believe that the self-worth of a new generation of rap listeners that have contact to the production of Northeastern Singing, search in these forms of oral tradition a identity as Brazilian person, son of various races and crossed by multiple discourses

Descrição

Palavras-chave

Bakhtin, M. M, Mikhail Mikhailovich, 1895-1975, Cultura popular, Análise do discurso, Canções, Rap (Música), Popular Culture

Como citar

ALVES, Camila Cristina de Oliveira. Diálogos entre rap e repente: heterogeneidade discursiva e representação da subjetividade na canção. 2013. 110 p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, 2013.