Análise do efeito antioxidante de amostras vegetais por ressonância paramagnética eletrônica e ressonância magnética nuclear

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-12-12

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

In some vegetable there are antioxidants substances, which are molecules able to delay or to prevent the oxidative effect in the membrane and in the other parts of the cell. This effect is caused by free radicals, which have unpaired and highly unstable electrons with a short half-life and are chemically reactive. In this context vegetable samples of spinach, mango and green beans were chosen, which were cultivated and prepared to analyze the antioxidant effect of these samples. The preparation of the vegetable samples was performed in the Department of Chemistry and Biochemistry of Biosciences Institute - Unesp Botucatu. The measurement and analysis of the samples were performed in two stages: The first was performed in the University of Applied Sciences Hochschule Merseburg in the city Merseburg - Germany in the Department of Engineering and Natural Sciences by researching with nuclear magnetic resonance spectroscopy (NMR). And the other by electron paramagnetic resonance spectroscopy (RPE) in the Department of Physics, in the University of São Paulo (USP). Thus the project aims to analyze the antioxidant effect of vegetable samples for the capture of free radical DPPH with the with the resonance equipment mentioned. After the analysis it was concluded, that the different types of cultivation and ways of washing do not interfere significantly on the antioxidant effect of the samples. All samples show this effect, but the mango is showing most effective result, so it is proving, that a balanced diet, which is rich in vegetables can prevent diseases, that are caused by cellular oxidative process
Algumas espécies vegetais apresentam substâncias antioxidantes, que são moléculas capazes de retardar ou até impedir o efeito oxidativo na membrana e em outras partes de uma célula. Este efeito é causado pelos radicais livres, que apresentam elétrons desemparelhados, são altamente instáveis, com meia-vida curta e quimicamente muito reativos. Nesse contexto, foram escolhidas amostras vegetais de espinafre, casca de manga e a vagem que foram cultivadas e preparadas de diferentes maneiras a fim de avaliar o efeito antioxidante destas amostras. O preparo das amostras vegetais foi realizado no Departamento de Química e Bioquímica do Instituto de Biociências - Unesp Botucatu. As medidas e análises das amostras foram realizadas na Universidade de Ciências Aplicadas Hochschule Merseburg, na cidade de Merseburg - Alemanha, no Departamento de Engenharia e Ciências Naturais, por espectroscopia de ressonância magnética nuclear (RMN). E a outra por espectroscopia de ressonância paramagnética eletrônica (EPR) no departamento de Física da Universidade de São Paulo (USP). Sendo assim, o projeto tem como objetivo a análise do efeito antioxidante das amostras vegetais pela captura do radical livre DPPH com os equipamentos de ressonância citados. Após as análises concluiu-se que os diferentes tipos de cultivo e lavagens são interferem de forma significativa no efeito antioxidante das amostras, bem como todas as amostras apresentam o este efeito, porém a casca de manga tem maior eficácia, comprovando então que uma alimentação balanceada e rica em vegetais podem prevenir doenças que são causados pelo processo oxidativo celular

Descrição

Palavras-chave

Antioxidantes, Ressonância magnética, Ressonância paramagnética eletrônica, Reações de radicais livres, Plantas - Analise, Hortaliças, Vegetables, Antioxidants

Como citar

SILVA, Mayara Fernandes Simões. Análise do efeito antioxidante de amostras vegetais por ressonância paramagnética eletrônica e ressonância magnética nuclear. 2014. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Enfermagem) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Instituto de Biociências de Botucatu, 2014.