Caracterização imuno-histoquímica do infiltrado inflamatório associado ao líquen plano oral e lesões liquenóides orais

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2020-03-10

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Este trabalho está dividido em 3 publicações cujos objetivos foram caracterizar o processo inflamatório de líquen plano oral e lesão liquenóide oral por meio da imuno-histoquímica em três grupos celulares a) células de Langherans, b) linfócitos e c) macrófagos. Introdução: células dendríticas (DCs) são células importantes na resposta imune inata com participação especial em eventos imunológicos na cavidade oral. Entre elas, as células de Langerhans (CLs) estão sendo associadas à patogênese do líquen plano oral (LPO) e das lesões liquenóides orais (LLO). Essas células juntas com os linfócitos e macrógafos são capazes de coordenar grande parte das respostas imunológicas. No entanto devido a presença de CLs, linfócitos e macrófagos em lesões reativas e traumáticas na cavidade oral, o real envolvimento dessas células na patogênese do LPO e do LLO deve ser melhor compreendido. Objetivo: avaliar e comparar a densidade das CLs, linfócitos e macrofágos no LPO, LLO e na hiperplasia fibrosa inflamatória (HFI). Metodologia: 14 casos de LPO, 14 casos de LLo e 14 casos de HFI foram selecionadas para análise de imuno-histoquímica com os seguintes anticorpos S100, CD1a, CD207, CD3, CD4, CD8, CD20, CD68 e CD163. A densidade celular foi calculada nas regiões intraepiteliais e subepiteliais. O grupo HFI foi subdivido de acordo com a presença de processo inflamatório liquenóide (HFIL) e com a ausência desse processo inflamatório (HFINL) para as análises de CLs e linfócitos. Para as análises estatísticas foi utilizado o software IBM SPSS 20.0. Resultados: uma grande densidade de células S100 foi encontrada seguida de densidades similares de CD1a e CD207 localizadas no epitélio e no tecido conjuntivo. Houve diferença estatística entre células CD207 entre os grupos LLO e LPO (p=0,015) e entre células CD1a (p=0,024) e células CD207 (p=0,015) entre as regiões intraepiteliais e subepiteliais de todos os grupos. Para os linfócitos uma grande densidade de células CD4 foi encontrado no LPO e uma baixa densidade de células CD20 nos grupos LLO e LPO quando comparados ao grupo HFIL. Para os macrófagos, LPO foi o grupo que mais apresentou marcação positiva para CD68. Conclusão: apesar da diferença estatística das células CD207 entre LLO e LPO, o resultado do presente trabalho pode ser mais bem explicado pela diferença existente entre epitélio e tecido conjuntivo entre todos os grupos. Células CD4 associadas com baixa densidade de CD20 podem sugerir como essas células participam da formação do processo inflamatório liquenóide. O LPO destaca-se pela grande presença de células CD68.
This work is divided into 3 publications whose objectives were to characterize the inflammatory process of oral lichen planus and oral lichenoid lesion through immunohistochemistry in three cell groups a) Langherans cells, b) lymphocytes and c) macrophages. Introduction: Dendrict cells (DCs) are important cells of the innate immune system with essential participation in immunological events in oral cavity. Among them, the Langerhans cells (LCs) have been associated with oral lichen planus (OLP) and oral lichenoid lesions (OLL) pathogenesis. Together with the lymphocytes and macrophages, these cells are able to coordinate a large part of the immune response. However, due to present of LCs, lymphocytes and macrophages in reactive and traumatic lesions in oral cavity, the real involvement of these cells in LPO and LLO pathogenesis should better understood. Objective: To evaluate and compared the density of LCs, lymphocytes and macrophages in oral lichen planus (OLP), oral liquenoid lesions (OLL) and oral inflammatory fibrous hyperplasia (OIFH). Methodology: 14 cases of OLP, 14 cases of OLL and 14 cases of OIFH, were selected by immunohistochemical analysis for S100, CD1a, CD207, CD3, CD4, CD8, CD20, CD68 and CD163. Densities the cells were calculated in the intraepithelial and sub epithelial areas. The OIFH group was subdivided according to the presence (OIFHL n=14) and absence (OIFHNL n=14) of lichenoid inflammatory infiltrate in analyses involving the LCs and lymphocytes. The statistical analyses were performed by IBM SPSS Statistics 20.0 Results: a great deal of S100 + cells, followed by similar quantities of CD1a+ and CD207+ cells located at intraepithelial and sub epithelial areas were observed in all groups. There is statistical difference between CD207+ cells OLL against OLP (p=0.015) and among intraepithelial and sub epithelial areas to CD1a (p=0.024) and CD207 (p=0.015) to all groups. For the lymphocytes a large density of CD4 cells were observed in OLP and a low density of CD20 were found when compared OLL and OLP to the control group OIFHL. To macrophages the OLP was the group that presented more CD68+ cells. Conclusion: despite of statistical difference in CD207+ cells in OLL and OLP, lichenoid diseases and reactive/traumatic lesions with lichenoid infiltrate (OIFHL) have a similar density of LCs. CD4 cell density associated with the low cell density of CD20 may suggest how these cells participate in the lichenoid inflammatory process. The LPO stands out for the great presence of CD68 cells. The role of these cells in the pathogenesis of the lesions needs to be better clarified

Descrição

Palavras-chave

Líquen plano, Células de Langherans, Linfócitos, Macrófagos, Lichen planus, Langerhans cell, Lymphocytes, Macrophages.

Como citar