Naufrágios e outros infortúnios na História Trágico-Marítima da carreira da Índia (Séculos XVI e XVII)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-11-14

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

This research promotes a mapping on the reports about shipwrecks written in Portuguese - such reports mentions the trips on the route to India in XVIth and XVIIth centuries - and attempts to analyze the point of coexistence, tension and dialogue among traditional and bookish knowledge of ancient and middle age culture with the new modern attainment, more pragmatical and based on experience. The main assumption that leads our research is that the sea (which was, by that time, a space related to fear, to imaginary lands, to sea monsters, to abyss, and hellish figures) becomes related to the casualties experienced during a sea trip: the starvation, the thirstiness, the calmness, the diseases, the storms and mainly the shipwrecks. From this hypothesis, by mapping those reports, we parallelly search to know which was the usage and circulation of the analyzed writings on that matter among Portuguese society by that time, its author and its social position. Finally, we look for which conceptions about the life on board and on the sailed seas were being formulated. In other words, the analysis we now intend to do should be interpreted as a procedure that fundamentally aims to verify the forms in which the discourses cross mutually and establish its discursive regularities in series
A pesquisa que se segue promove um mapeamento dos relatos de naufrágio em língua portuguesa, relatos que mencionam as viagens à carreira da Índia nos séculos XVI e XVII, com intuito de analisar o momento de coexistência, tensão e diálogo entre os conhecimentos tradicionais e livrescos, da cultura antiga e medieval, com os novos conhecimentos modernos, mais pragmáticos, baseados na experiência. A hipótese central que norteia nossa pesquisa é de que o mar, que até então era um espaço relacionado ao medo, às ilhas imaginárias, aos monstros marinhos, ao abismo e às figurações infernais, passa também a ser relacionado aos infortúnios experimentados durante as viagens: a fome, a sede, as calmarias, as doenças, as tempestades e, sobretudo, os naufrágios. Partindo desta hipótese, ao mapear esses relatos, buscamos, paralelamente, saber qual era o estatuto e a circulação do escrito analisado na sociedade portuguesa do período. Quem era e como se situava socialmente quem o escreveu. E, por fim, quais concepções sobre a vida de bordo e sobre os mares navegados estavam sendo construídos. Dito de outro modo, a análise que ora propomos realizar deve ser entendida como um procedimento que procura, fundamentalmente, verificar a forma como os discursos se entrecruzam e estabelecer, dentro de séries, suas regularidades discursivas

Descrição

Palavras-chave

História, Naufrágios - História, Companhias de navegação, Narrativas pessoais, Marinha - História - Índia, History

Como citar

KOCKEL, Marcelo Fidelis. Naufrágios e outros infortúnios na História Trágico-Marítima da carreira da Índia (Séculos XVI e XVII). 2014. 130 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, 2014.