Pesquisa em deriva: narrativas errantes de cidades

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-10-08

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Nesta tese, realizamos uma pesquisa em deriva na cidade de Barcelona (ES), procurando apreender nela o que chamamos de cidade vivida. Nossa tática principal foi adentrar essa cidade, até, então, completamente desconhecida, por suas bordas, por aquilo que rodeia seus epicentros como resultado de processos de centrifugação que, por um lado, assimilam, depuram e estabilizam determinados elementos que circulam no espaço urbano e, por outro, expulsam os resíduos, as sobras, os rejeitos ou os descartes daquilo que não é assimilável. O olhar para os rastros da cidade, por sua vez, carrega consigo um movimento sem uma direção preestabelecida, sem um alvo definido. É um movimento que escapa à racionalidade que preside as cinesias urbanas e se faz pelo deslocamento, pela deriva, pela errância. Por esses (des)caminhos, pudemos apreender memórias da cidade, seus recados, as multidões que se formam, manifestações da loucura, espaços vazios, abandonados (terrain vague) e acontecimentos comezinhos que irrompem na cidade vivida. A deriva, a princípio, funcionando como ferramenta técnica de investigação de campo, alcança outros tempos da pesquisa e passa a compreender nossa proposta epistemológica. Além disso, enquanto movimento errante, não produz uma experiência de cidade linear, sequencial e totalizadora, mas sim experiências fragmentárias que podem ser arranjadas em diferentes composições de narrativas. Por isso, este texto é resultado de uma montagem feita de fragmentos de textos não lineares e não hierárquicos. A partir de diferentes registros do saber, teorizações e conceitos, narrativas de campo, de filmes e documentário, de notícias, de literatura, de conversas informais, de fotos e imagens. Com isso, compomos junto à heterogeneidade de temporalidades que comumente coexistem no processo do pesquisar, permitindo a continuidade de sua montagem, na qual o leitor, por meio de sua própria deriva por este texto-cidade, possa continuar o processo interminável e indefinido de montagens possíveis. Assim, este texto em fragmentos propõe que estes funcionem fazendo circular outras cidades vividas que coexistem junto a essa que se apresenta a nós.
In this thesis, we carried out a research in drift, in the city of Barcelona (ES), trying to apprehend in it what we call the lived city. Our main tactic was to enter this city, until then completely unknown, by its borders, by what surrounds its epicenters as a result of centrifugation processes that, on the one hand, assimilate, debug and stabilize certain elements that circulate in the urban space and , on the other hand, expel residues, leftovers, rejects or discards from what is not assimilable. Looking at the city's tracks, in turn, carries with it a movement without a pre-established direction, without a defined target. It is a movement that escapes the rationality that presides over urban kinesias and is made through displacement, drift, wandering. Through these (dis)paths we were able to apprehend memories of the city, its messages, the crowds that form, manifestations of madness, empty spaces, abandoned (terrain vague) and simple events that erupt in the city experienced. Drift, at first, functioning as a technical tool for field investigation, reaches other times in research and begins to understand our epistemological proposal. The former, as an errant movement, does not produce a linear, sequential and totalizing city experience, but fragmentary experiences, which can be arranged in different compositions of narratives. Therefore, this text is the result of an assembly made up of fragments of non-linear and non-hierarchical texts. From different registers of knowledge, theories and concepts, field narratives, films and documentaries, news, literature, informal conversations, photos and images. Composing thus, together with the heterogeneity of temporalities that commonly coexist in the research process. Allowing the continuity of its montage, where the reader, through his own drift through this city-text, can continue the endless and indefinite process of possible montages. Thus, this text in fragments proposes that these work by circulating these other lived cities that coexist alongside the one that presents itself to us.

Descrição

Palavras-chave

Cidade vivida, Pesquisa em deriva, Montagem, Cotidiano, Alteridade, Lived city, Drifting research, Montage, Quotidian, Alterity

Como citar