Características qualitativas e quantitativas do músculo Longissimus de bubalinos e bovinos terminados em confinamento

Imagem de Miniatura

Data

2014-07-15

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar as diferenças entre os parâmetros qualitativos, quantitativos e sensoriais do músculo Longissimus de bovinos e bubalinos. Foram utilizados animais das espécies bovina (Nelore) e bubalina (cruzados Mediterrâneo e Murrah). Os animais foram mantidos em confinamento comercial, por 102 dias, em baias coletivas, de acordo com a espécie, recebendo, no período de acabamento, 8,07% de proteína bruta e 72,10% de nutrientes digestíveis totais. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com 2 tratamentos (espécie animal) e 40 repetições. As médias foram comparadas pelo teste de Tukey, considerando o nível de significância de 5%, quando o teste F foi significativo. Os bovinos apresentaram melhor rendimento de carcaça (57,16 ± 1,42%), maior área de olho de lombo (59,38 ± 5,72 cm2), maior porcentagem de dianteiro (40,68 ± 1,30%), cortes mais pesados do dianteiro, menor oxidação lipídica (0,155 ± 0,033 mgMDA/kg), maior porcentagem de proteína (21,16 ± 0,97%) e cinzas (1,08 ± 0,06%), enquanto que os bubalinos obtiveram maior espessura de gordura subcutânea (13,85 ± 3,00 mm), menor perda no resfriamento (1,26 ± 0,15%), maior porcentagem de ponta de agulha (14,50 ± 0,57), cortes mais pesados do traseiro, menor porcentagem de perda por cocção (29,42 ± 3,04%), maior porcentagem de umidade (75,13 ± 0,89%), menor porcentagem de colágeno (4,81 ± 0,79%) e maior índice de fragmentação miofibrilar (79,91 ± 17,50). No painel sensorial somente a variável odor apresentou diferença (P<0,05) entre as espécies, sendo a carne bubalina com maior nota (7,30 ± 0,98 pontos). Conclui-se que a carne bovina diferencia da carne bubalina em termos de desempenho, características físicas e químicas. Porém a carne bubalina tem potencial para ...
The aim of this study was to evaluate the differences between qualitative, quantitative and sensory parameters of the Longissimus muscle of cattle and buffaloes. Were used cattle of Nellore breed and buffalo of Murrah and Mediterranean crossed. The animals were maintained on a commercial feedlot for 102 days in collective boxes according to species, getting in the finishing period, 8.07% crude protein and 72.10% total digestible nutrients. The experimental design was completely randomized with two treatments (species) and 40 repetitions. Means were compared by Tukey test, considering significance level of 5%, when the F test was significant. The cattle have higher carcass yield (57.16 ± 1.42%), a larger rib eye area (59.38 ± 5.72 cm2), higher percentage of forequarter (40.68 ± 1.30%), heavier cuts forequarter, lower lipid oxidation (0.155 ± 0.033 mgMDA/kg), increased percentage of protein (21.16 ± 0.97%) and ash (1.08 ± 0.06%) , while buffaloes showed greater fat thickness (13.85 ± 3.00 mm), smaller loss in cooling (1.26 ± 0.15%), higher percentage of spare rib (14.50 ± 0.57), heavier cuts of hindquarter, lower percentage cooking loss (29.42 ± 3.04%), higher percentage of moisture (75.13 ± 0.89%), lower percentage of collagen (4.81 ± 0.79%) and higher rate of myofibrillar fragmentation (79.91 ± 17.50). In sensory panel only odor variable showed differences (P < 0.05) between species, with the buffalo meat with highest score (7.30 ± 0.98 points). It is concluded that beef differs from buffalo meat in terms of performance, physical and chemical characteristics. But the buffalo meat has the potential to enter the consumer market

Descrição

Palavras-chave

Bovino de corte, Nelore (Zebu), Avaliação sensorial, Colageno, Cisalhamento, Oxidação, Confinamento (Animais), Feedlots

Como citar

RODRIGUES, Ana Beatriz Bertoncello. Características qualitativas e quantitativas do músculo Longissimus de bubalinos e bovinos terminados em confinamento. 2014. xiii, 39 p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2014.