Os debates sobre o modernismo nos periódicos A Revista (Belo Horizonte, 1925-1926) e Verde (Cataguases, 1927-1928;1929)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-02-11

Orientador

Luca, Tania Regina de

Coorientador

Pós-graduação

História - FCLAS

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

O movimento modernista brasileiro foi construído coletivamente na sucessão de ideais, grupos e periódicos que surgiram ao longo da década de 1920, caminho pelo qual o icônico evento paulista de 1922 desdobrou-se e firmou raízes em outras partes do país. Por ser um meio de divulgação ágil e capaz de acompanhar a mutabilidade das ideias modernistas, as revistas tornaram-se as porta-vozes por excelência do movimento, sendo uma importante fonte para seu estudo. Deste quadro de revistas modernistas, há uma pluralidade de projetos que responderam às questões e aos desafios próprios de seu tempo e espaço na conjunção construtiva do movimento, e, neste sentido, o estado de Minas Gerais foi cenário de dois importantes periódicos: A Revista (Belo Horizonte, 1925-1926) e Verde (Cataguases, 1927-1928;1929) que, em conjunto, desenharam as experiências plurais do modernismo mineiro. Estas iniciativas foram analisadas de maneira sistemática com o objetivo de esclarecer suas particularidades sem perder de vista o diálogo mais amplo que mantiveram com as revistas congêneres de seu período, tarefa que permitiu redimensionar a atuação destas publicações mineiras no interior do movimento modernista. Articulados na rede intelectual modernista, os mineiros se envolveram no complexo jogo de aproximações, tensões e trocas que marcaram o projeto amplo de (re)construção da cultura e literatura nacional: o modernismo.

Resumo (inglês)

The Brazilian modernist movement was built collectively on the succession of ideals, groups and periodicals that emerged throughout the 1920s, a path through which the iconic São Paulo event in 1922 unfolded and took roots in other parts of the country. As a means of agile dissemination and capable of accompanying the mutability of modernist ideas, the periodicals have become the spokesmen par excellence of the movement, being an important source for their study. Within this framework of modernist periodicals, there are a plurality of projects that answered the questions and challenges of their time and space in the constructive conjunction of the movement, and, therefore, the state of Minas Gerais was the scene of two important periodicals: A Revista (Belo Horizonte, 1925-1926) and Verde (Cataguases, 1927-1928;1929), that, together, drew the plural experiences of Minas Gerais modernism. These initiatives were systematically analyzed in order to clarify their particularities without losing sight of the broader dialogue they maintained with similar periodicals of their period, assignment that allowed to resize the performance of these publications from Minas Gerais within the modernist movement. Articulated in the modernist intellectual network, the groups were involved in the complex game of approximations, tensions and exchanges that marked the broad (re)construction project of national culture and literature: the Brazilian Modernism.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados