Associação longitudinal entre pressão arterial elevada e excesso de peso em escolares de 6 a 8 anos de uma cidade de médio porte do Estado de São Paulo

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-04-25

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Introdução: Anualmente milhares de mortes são causadas por doenças cardiovasculares e um dos principais determinantes destas doenças é a Pressão Arterial Elevada, que tem se manifestado em idades cada vez mais precoces. Entende-se que a Pressão Arterial Elevada em crianças e adolescentes tendem a perdurarem até a idade adulta e existem diversos fatores relacionados a este aumento, tais como: sobrepeso e obesidade, circunferência de cintura, prática de atividade física, fatores sociais e hereditários, entre diversos outros. Destes o sobrepeso e a obesidade é o fator mais impactante na Pressão Arterial, porém seu entendimento a longo prazo ainda não está totalmente elucidado e ainda existem controvérsias. Ademais grande parte dos estudos pediátricos sobre este tema no Brasil e no mundo são transversais e com grupos de idades muito heterogêneas. Assim são necessários estudos longitudinais com variações menores de idade entre os avaliados, para um melhor entendimento da influência dos impactos do sobrepeso e obesidade sobre a Pressão Arterial. Objetivos: Analisar a relação longitudinal entre pressão arterial elevada e excesso de peso em escolares de uma cidade de médio porte do Estado de São Paulo. Métodos: Estudo tipo Coorte com duração de 24 meses realizado nas escolas Municipais de Presidente Prudente — SP — com 256 crianças (132 meninos) de 6 a 8 anos. Informações como participação nas aulas de Educação Física na escola, prática esportiva fora da escola e condição econômica foram obtidas por meio de questionários respondidos por pais ou responsáveis, já informações sobre pressão arterial, peso, estatura e circunferência de cintura foram coletados por meio de avaliação da criança devidamente autorizada pelos pais ou responsáveis, na escola ou em locais onde a criança esteja realizando as atividades. A estatística descritiva foi composta por valores de média, desvio-padrão e intervalo de confiança de 95%. Para analisar as mudanças na pressão arterial ao longo da Coorte, a análise de variância para medidas repetidas foi empregada (ANOVA medidas repetidas). Esta análise foi ajustada por potencias fatores de confusão (sexo, idade, altura, excesso de peso e obesidade abdominal) e considerou o fator tempo, trajetória de desenvolvimento do S/O e interação tempo x trajetória de desenvolvimento do S/O. as mudanças na pressão arterial e as variáveis independentes foram analisadas pela correlação de Pearson e regressão linear (expressa em valores de beta e seus respectivos intervalos de confiança de 95% [IC95%]). A associação entre S/O e PAE foi analisada pelo teste qui-quadrado e suas magnitudes expressas pela regressão de Cox (expressa em valores de hazard ratio [HR] e seus respectivos IC95%), ajustada por sexo, idade, condição econômica, estatura e prática esportiva. Valores de significância (p-valor) inferiores a 5% foram considerados relevantes estatisticamente. Todas as análises foram realizadas no BioEstat (versão 5.0, Tefé, Amazonas).Resultados: O percentual de crianças que apresentou Pressão Arterial Elevada (PAE) não se alterou ao longo dos 24 meses variando de 7,1% para 8,2% (p-valor= 0,690), porém crianças com Sobrepeso e Obesidade (S/O) ao longo do segmento quando comparadas a crianças eutróficas no mesmo período, tiveram risco 198% (HR= 2.98 [IC95%: 1.40 – 6.35]) maior de ter Pressão Arterial Elevada (PAE) diagnosticada ao longo do seguimento. Conclusão: A prevalência de PAE não aumentou ao longo do seguimento, mas se associou com a trajetória de desenvolvimento do S/O entre crianças de 6 a 8 anos.
Introduction: Every year thousands of deaths are caused by cardiovascular diseases and one of the main determinants of these diseases is High Blood Pressure, which has manifested itself at increasingly earlier ages. It is understood that High Blood Pressure in children and adolescents tends to last until adulthood and there are several factors related to this increase, such as: overweight and obesity, waist circumference, physical activity, social and hereditary factors, among others. several others. Of these, overweight and obesity is the most impacting factor on Blood Pressure, but its long-term understanding is still not fully elucidated and there are still controversies. In addition, most pediatric studies on this topic in Brazil and worldwide are cross-sectional and with very heterogeneous age groups. Thus, longitudinal studies with smaller age variations among those evaluated are necessary, for a better understanding of the influence of the impacts of overweight and obesity on Blood Pressure.Objectives: To analyze the longitudinal relationship between high blood pressure and excess weight in schoolchildren in a medium-sized city in the state of São Paulo. Methods: Longitudinal cohort study with a duration of 24 months carried out in the Municipal schools of Presidente Prudente — SP — with 256 children (132 boys) aged 6 to 8 years. Information such as participation in Physical Education classes at school, sports practice outside of school and economic status were obtained through questionnaires answered by parents or guardians, while information on blood pressure, weight, height and waist circumference were collected through evaluation. of the child duly authorized by the parents or guardians, at school or in places where the child is carrying out activities. Descriptive statistics consisted of mean values, standard deviation and 95% confidence interval. To analyze changes in blood pressure across the Cohort, analysis of variance for repeated measures was employed (repeated measures ANOVA). This analysis was adjusted for potential confounding factors (gender, age, height, overweight and abdominal obesity) and considered the time factor, O/O developmental trajectory and time x O/O development trajectory interaction. changes in blood pressure and independent variables were analyzed by Pearson's correlation and linear regression (expressed in beta values and their respective 95% confidence intervals [95%CI]). The association between O/O and PAE was analyzed by the chi-square test and its magnitudes expressed by Cox regression (expressed in hazard ratio [HR] values and their respective 95%CI), adjusted for sex, age, economic status, height and sports practice. Significance values (p-value) lower than 5% were considered statistically relevant. All analyzes were performed in BioEstat (version 5.0, Tefé, Amazonas) Results: The percentage of children who presented High Blood Pressure (HBP) did not change over the 24 months, ranging from 7.1% to 8.2% (p-value = 0.690), but children with Overweight and Obesity (O/O) throughout the segment when compared to normal weight children in the same period, they had a 198% (HR= 2.98 [95% CI: 1.40 – 6.35]) higher risk of having High Blood Pressure (HBP) diagnosed during the follow-up. Conclusion: The prevalence of HBP did not increase during follow-up, but it was associated with the path of development of O/O in children aged 6 to 8 years.

Descrição

Palavras-chave

Pressão Arterial, Hipertensão, Exercício, Crianças, Obesidade, Blood Pressure, Hypertension, Exercise, Children, Obesity

Como citar