Mulheres e tatuagens: valores e intenções impregnados na construção do corpo feminino

Nenhuma Miniatura disponível

Data

2015-07-06

Autores

Andrade, Priscila Aparecida Martins [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Tattoo is a body marking used for centuries, since ancient age until the contemporary, the new paradigm in which it is, it happens due to the way how is recognized and adopted in many different cultures and ages. The problematics of this study refers to this aspect, to understand the tattoo as a whole and then discuss how the tattoo happens in working-class women. Being a mark that still suffers prejudices, so stigmatized, we will analyse through the condition of being a woman and belonging to a poor class if that prejudice becomes bigger or not, if there is a difference in male and wealthiest class. Before this reality this study intends to perform an analysis of the tattoo's history, showing its appearance over the centuries, its modifications, prejudice and stigma, to understand it and understand through history why this prejudice perpetuate until today. The approach of the individuals who are part of this group and how they are seen will be discussed by various authors that boarded this theme too. The body, place where the tattoo appears to express feelings that are often dreams, achievements, wishes or simply fashion through the epidermis will also be reviewed. It will be added to this research Pierre Bourdieu's studies and employees about to references on women and the working classes. To obtain this objective it was looked through the qualitative methodology and as and like the form of data collection of the semistructured interview, analyzes what women interviewed think, passed and how they live with their tattoos. The results showed us that although women have autonomy and freedom is controlled by the choices of designs and local adopted to be made, this setting is performed sometimes by boyfriends or husbands, identically are regulated by the discretion of the trial of society, a conditioned liberty to a third ...
A tatuagem é uma marcação corporal utilizada há séculos, desde a idade antiga até a contemporaneidade. O novo paradigma em que ela se encontra se dá pela maneira como é reconhecida e adotada nas mais diversas culturas e épocas. A problemática desse estudo refere-se a esse ponto, compreender a tatuagem no seu todo para então discutir como ela se origina em mulheres das classes populares. Por ser uma marca que ainda sofre preconceitos, sendo assim estigmatizada, analisaremos por meio da condição de ser mulher, e o pertencimento a uma classe menos favorecida, se esse preconceito se torna maior ou não, se existe uma diferença no que tange o sexo masculino e uma classe mais abastada. Diante dessa realidade o presente estudo pretende realizar uma análise sobre a história da tatuagem, mostrando o seu surgimento no decorrer dos séculos, suas modificações, preconceitos e estigmas, para compreendê-la e entender através da história o porquê desse preconceito perpetuar até os dias de hoje. A abordagem dos indivíduos que fazem parte desse grupo e como eles são vistos também será discutido por intermédio de vários autores que abordaram essa temática. O corpo, lugar no qual a tatuagem é exibida para expressar sentimentos que muitas vezes são sonhos, realizações, desejos ou simplesmente modismo através da epiderme, também será analisado. Serão acrescentados a essa pesquisa os estudos de Pierre Bourdieu e colaboradores no que concernem as referências sobre a mulher e as classes populares. Para auferir esse intuito buscou-se por meio da metodologia qualitativa e como forma de coleta de dados a entrevista semiestruturada analisar o que as mulheres entrevistadas pensam e como vivem com as suas tatuagens. Os resultados obtidos nos mostraram que apesar da mulher ter autonomia e liberdade de usar o corpo para fazer uma tatuagem, essa liberdade é controlada nas escolhas dos desenhos e locais adotados para serem feitos, essa...

Descrição

Palavras-chave

Mulheres, Classes sociais, Preconceitos, Etnologia, Tatuagem, Tattooing

Como citar

ANDRADE, Priscila Aparecida Martins. Mulheres e tatuagens: valores e intenções impregnados na construção do corpo feminino. 2015. 112 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciencias e Letras (Campus de Araraquara), 2015.