Uso de cercas-vivas por aves em uma paisagem fragmentada de mata atlântica semidecídua

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2005-04-18

Autores

Gabriel, Vagner de Araújo [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Esta pesquisa investigou o uso de cercas-vivas por aves em uma paisagem fragmentada de Mata Atlântica semidecídua em Itatiba, São Paulo. Objetivou-se (1) determinar quais espécies de aves utilizam as cercas-vivas, (2) que atividades aí realizam, (3) verificar a disponibilidade de frutos e artrópodes nas cercas-vivas, (4) se a presença das aves nas cercas-vivas está relacionada à disponibilidade desses recursos alimentares e (5) caracterizar a estrutura da vegetação das cercas-vivas e compará-las aos fragmentos estudados. Foram estudados cinco fragmentos e três cercas-vivas, que conectam tais fragmentos. Nove redes de neblina foram instaladas nas cercas-vivas e 15 nos fragmentos para a captura e anilhamento de aves. Pela recaptura das aves foi inferida a função das cercas-vivas como corredor. Taxas de captura nas cercas-vivas e fragmentos foram comparadas. Para isso foram consideradas, separadamente, guildas de aves frugívoras, insetívoras, granívoras-frugívoras, granívoras-insetívoras e nectarívorasinsetívoras. Quanto às taxas de captura, excetuando-se a taxa de captura de aves insetívoras, houve diferença significativa entre cercas-vivas e fragmentos, sendo sempre maiores nas cercas-vivas. Não houve diferença na oferta de frutos e artrópodes entre cercas-vivas e fragmentos. As taxas de captura de aves frugívoras e insetívoras não estiveram relacionadas à disponibilidade de frutos e artrópodes. Cercas-vivas e fragmentos pouco diferiram quanto à estrutura da vegetação. Concluiu-se que a presença de cercas-vivas pode amenizar os efeitos do isolamento a que estão sujeitas muitas aves tropicais devido à fragmentação de seu habitat.
This study investigated the use of live fences by birds in a fragmented Atlantic forest landscape in Itatiba, SE Brazil. The purpose of it was (1) identify what bird species use the live fences, (2) record what they do in the live fences, (3) investigate the availability of food resources (fruit and arthropod) in live fences, (4) investigate if the food availability influences the use of live fences by birds and (5) characterize the vegetation structure of live fences and forest fragments. Five forest fragments and three live fences that connect such fragments were studied. Nine mist-nets were installed in live fences and 15 in forest fragments to capture and band birds. For this, captured birds were classified into the following foraging guilds: frugivores, insectivores, granivores-frugivores, granivoresinsectivores and nectarivores-insectivores. Except for insectivorous birds, significant differences in capture rates between live fences and forest fragments were detected. Capture rates in live fences were always greater than in fragments. There was no difference in the availability of food resources between live fences and fragments. The capture rates of frugivorous and insectivorous birds were not related to the availability of fruits and arthropods. The vegetation structure at live fences and forest fragments differed little from each other. I concluded that live fences can serve as movement corridors for birds at the study site, thus helping to reduce the usually deleterious effects of isolation caused forest fragmentation.

Descrição

Palavras-chave

Ave, Cercas vivas, Live fences, Birds, Atlantic forest

Como citar

GABRIEL, Vagner de Araújo. Uso de cercas-vivas por aves em uma paisagem fragmentada de mata atlântica semidecídua. 2005. v, 72 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências, 2005.