Validação do instrumento Disabilities of Arm, Sholder and Hand (DASH) em estudantes de Odontologia

Imagem de Miniatura

Data

2015-03-16

Autores

Wajngarten, Danielle [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

This study aimed to assess the validity, reliability and factorial invariance of Disabilities of Arm, Shoulder and Hand-DASH scale when applied in dental students from Brazil. An observational cross-sectional study was conducted with 335 students from College of Dentistry of Araraquara UNESP/Brazil. In order to attend the content validity, 8 occupational health experts analyzed the essentiality of item's DASH, enabling the determination of Content Validity Ratio (CVR). The psychometric sensitivity was assessed by summary measures, asymmetry and kurtosis. For confirmatory factor analysis, the 2/gl, CFI, GFI and RMSEA indexes assessed the goodness of fit of the onefactor model, two-factor model and three-factor model. The Convergent Validity (CV) was estimated from Average Variance Extracted. Internal consistency was calculated using the Cronbach's alpha coefficient (α) and the Composite Reliability (CR). The significance level was 5%. It obtained that 11 items of the DASH presented CVR values below the recommended and 7 items do not have psychometric sensitivity. In confirmatory factor analysis it was found that the models tested did not show adequate quality of adjustment factor (one-factor model: 2/gl=4.195, CFI=0.520, GFI=0.667, 12 RMSEA=0.102, r2=0.28; two-factor model: 2/gl=2.802, CFI=0.730, GFI=0.794, RMSEA=0.077, r2=0.42; three-factor model: 2/gl=2.020, CFI=0.914, GFI=0.897, RMSEA=0.058, r2=0.51). It became necessary to proceed with the refinement of the models, resulting in the removal of 9 items' scale. After this, the two-factor model showed the best adjustment rates in this population (2/gl=1.999, CFI=0.915, GFI=0.897, RMSEA=0.057, r2=0.42, AIC=461.735, BIC=640.467, BCC=469.198). Although the convergent validity has not been adequate AVEphysical function= 0.33; AVEsymptoms= 0.38). The best adjustment...(Complete abstract electronic access below)
Este trabalho teve como objetivo estimar a validade, a confiabilidade e a invariância fatorial da escala Disabilities of Arm, Shoulder and Hand - DASH quando aplicada a estudantes de Odontologia de Araraquara. Para isso foi realizado um estudo observacional do tipo transversal no qual 335 estudantes do curso de graduação da Faculdade de Odontologia de Araraquara UNESP/Brasil preencheram a escala DASH. Para a validade de conteúdo 8 juízes com conhecimento na área de saúde ocupacional analisaram a essencialidade dos itens da DASH e a partir disso calculou-se a Razão de Validade de Conteúdo - RVC. A sensibilidade psicométrica foi avaliada por meio das medidas de resumo e forma. Na análise fatorial confirmatória os índices 2/gl, CFI, GFI e RMSEA foram utilizados para avaliar a qualidade do ajustamento dos três modelos testados: unifatorial, bifatorial e trifatorial. A validade convergente foi estimada por meio da Variância Extraída Média (VEM). A consistência interna foi calculada utilizando-se o Coeficiente alfa de Cronbach padronizado (α) e a Confiabilidade Composta (CC). O nível de significância adotado foi de 5%. Verificou-se que 11 itens da DASH apresentaram valores de RVC abaixo do recomendado e 7 itens não tiverem sensibilidade psicométrica. Na análise 10 fatorial confirmatória verificou-se que os modelos testados não apresentaram adequada qualidade de ajustamento modelo (unifatorial: 2/gl=4,195, CFI=0,520, GFI=0,667, RMSEA=0,102, r2=0,28; modelo bifatorial: 2/gl=2,802, CFI=0,730, GFI=0,794, RMSEA=0,077, r2=0,42; modelo trifatorial: 2/gl=2,020, CFI=0,914, GFI=0,897, RMSEA=0,058, r2=0,51). Em função disso, foi necessário o refinamento dos modelos onde foram removidos 9 itens da escala. Após o refinamento, o modelo bifatorial foi o que apresentou os melhores índices de ajustamento ... (Resumo completo clicar acesso eletrônico abaixo)

Descrição

Palavras-chave

Como citar

WAJNGARTEN, Danielle. Validação do instrumento Disabilities of Arm, Sholder and Hand (DASH) em estudantes de Odontologia. 2015. 105 f. , 2015.