Avaliação da resistência à fratura de dentes com fragilização simulada utilizando sistemas de pinos de fibra de vidro

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-02-08

Autores

Moura, Felipe Bernardo de

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar, ex vivo, pelo teste de compressão e ciclagem, a resistência a fratura de dentes que tiveram suas raízes fragilizadas em laboratório que receberam reforço intrarradicular com um modelo de pino de fibra de vidro Splendor-SAP em comparação ao pino de fibra de vidro Exacto. Além disso, foi realizada análise por elementos finitos para identificar os pontos de maior estresse estrutural. Foram utilizadas 60 raízes de dentes bovinos, os espécimes foram seccionados e padronizados com 16 mm de comprimento. Os canais foram instrumentados em toda a sua extensão utilizando limas endodônticas manuais. As amostras foram aleatoriamente distribuídas em seis grupos acordo com a espessura do remanescente radicular medidos a partir do terço cervical (2 mm e 3 mm) e o reforço radicular a ser utilizado (n=10): G1 - Controle 1, com remanescente radicular de 2 mm e sem reforço intrarradicular; G2 - Controle 2, com remanescente radicular de 3 mm e sem reforço intrarradicular; G3 - Com remanescente de 2 mm e reforço intrarradicular utilizando pino Exacto; G4 - Com remanescente radicular de 3 mm e reforço intrarradicular utilizando Exacto; G5 - Com remanescente radicular de 2 mm e reforço intrarradicular utilizando Splendor-SAP; G6 - Com remanescente radicular de 3 mm e reforço intrarradicular utilizando Splendor-SAP. Para a fragilização simulada, o desgaste radicular foi de 12 mm no interior do canal. Em seguida, os canais foram obturados e o material obturador removido dos terços cervical e médio, restando apenas 4 mm de material no terço apical. A cimentação dos pinos foi realizada seguindo o protocolo do fabricante. O teste de fadiga foi realizado por ciclagem mecânica dos espécimes para o envelhecimento das mesmas (1200000 ciclos; 3.8 Hz; carga = 88 N). Foi realizado o teste de compressão pela máquina de Ensaios Universais, com célula de carga de 100 Kg à velocidade de 1 mm/min com incidência a 45°. Os valores médios de resistência à fratura encontrados para os grupos, em ordem crescente, foram: G1 - 9,045 kgf, G2 - 9,753 kgf, G3 - 68,411 kgf, G4 - 80,167 kgf, G5 - 70,551 e G6 - 80,027. Os espécimes foram analisados em estereomicroscópio para classificação do modo de falha. Os resultados obtidos foram submetidos à análise estatística (ANOVA e Tukey) que demonstrou diferença estatisticamente significativa (p<0,05).
The objective of this work was to evaluate, ex vivo, by compression and cycling test, the resistance to fracture of teeth that had their roots weakened in the laboratory and that received intraradicular reinforcement with a Splendor-SAP fiberglass post model in comparison to the Exact fiberglass pin. In addition, finite element analysis was performed to identify the points of greatest structural stress. Sixty roots of bovine teeth were used, the specimens were sectioned and standardized with 16mm in length. The canals were instrumented along their entire length using manual endodontic files. The samples were randomly distributed into six groups according to the thickness of the root remnant (2 mm and 3 mm) and the root reinforcement to be used (n=10): G1 - Control 1, with a 2 mm root remnant and without intraradicular reinforcement ; G2 - Control 2, with root remnant of 3 mm and without intraradicular reinforcement; G3 - With a 2 mm remnant and intraradicular reinforcement using an Exacto post; G4 - With root remnant of 3 mm and intraradicular reinforcement using Exacto; G5 - With root remnant of 2 mm and intraradicular reinforcement using Splendor-SAP; G6 - With root remnant of 3 mm and intraradicular reinforcement using Splendor-SAP. For simulated embrittlement, root wear was 12 mm inside the canal. Then, the specimens were obturated and had the obturator material removed from the cervical and middle thirds, leaving only 4 mm of material in the apical third. The cementation of the posts was performed following the manufacturer's protocol. The fatigue test was carried out by mechanical cycling of the specimens for their aging (1200000 cycles; 3.8 Hz; load = 88 N). The compression test was carried out using the Universal Testing machine, with a load of 100 kg at a speed of 1 mm/min with an incidence of 45°. The average fracture resistance values found for the groups, in ascending order, were: G1 - 9,045 kgf, G2 - 9,753 kgf, G3 - 68,411 kgf, G4 - 80,167 kgf, G5 - 70,551 e G6 - 80,027. The specimens were analyzed under a stereomicroscope to classify the failure mode. The results obtained were submitted to statistical analysis (ANOVA and Tukey) which showed a statistically significant difference (p<0.05).

Descrição

Palavras-chave

resistência à fratura, pinos de fibra de vidro, raízes fragilizadas, fracture resistance, fiberglass pins, fragile roots

Como citar