Osseointegração de implantes de titânio recobertos com nanotubos e instalados sem estabilidade primária: influência da associação adesivo fibrínico/ácido tranexâmico

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-07-03

Autores

Capalbo, Bruna Cabrera [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

It is well known that the rate and strength of osseointegration is related to the direct connection between living bone and implant surface. Surface properties, such as topography, wettability, charge, surface energy, crystal structure, roughness, chemical potential, strain hardening, impurities, passive film thickness and coatings play important role for long-term clinical success. The association of fibrin-adhesive with tranexamic acid (TEA) is used to reduce fibrin degradation and prevent early blood clot breakdown. The aim of this study was to evaluate the bone healing around implants with anodized surface associated with fibrin adhesive/ tranexamic acid and installed with compromised primary stability. 80 implants of titanium ASTM F67 (Grade 4) with dimensions of 2.1 x 2.8mm Ø were manufactured. They were divided (n=10) into Group I (machined Ti), Group II (machined Ti / fibrin adhesive), Group III (machined Ti / tranexamic acid) Group IV (machined Ti / fibrin adhesive/tranexamic acid), Group V (anodized Ti), Group VI (anodized Ti / fibrin adhesive), Group VII (anodized Ti / tranexamic acid) Group VIII (anodized Ti / fibrin adhesive/tranexamic acid). The anodized surface was formed using glycerol electrolyte (glycerol DI-H2O) with DC fields 50-50 v / v and NH4F solution (0.5 to 1.5%) by applying a pulsed DC field to the specimen (10-20V) for a period of 3 hours at 37°C. The implants are surgically placed in tibia (defects with 2.5x3.2 mm Ø) of 80 male rats (250 grams). The surgical sites were rinse with 5%tranexamic acid solution in Groups III, IV, VII and VIII. In addition, were filled with fibrin adhesive into Groups II, IV, VI and VIII. The animals were euthanized at 45 days postoperative. The pieces were processed in methyl methacrylate (Stevenel's blue/Alizarin red). The samples were retrieved for bone-to-implant contact...
Nanotubos de óxido de titânio (TiO2 ) podem potencializar a diferenciação celular, melhorando a integração do tecido ósseo em superfícies de implantes dentários, particularmente quando estes são associados a substitutos ósseos. O propósito deste trabalho foi avaliar o reparo ósseo ao redor de implantes recobertos com nanotubos, associados à adesivo fibrínico/ácido tranexâmico e instalados sem estabilidade primária. Foram confeccionados 80 implantes de Titânio ASTM F67 (Grau 4), com dimensões de ∅2.1 x 2.8 mm, usinados em torno CNC STAR®, modelo SR-20RII, com potência de 2,2 kW. Foi empregada ferramenta de roscamento externo ISCAR® 16 ER 0.80 ISO IC 908 (metal duro revestido com TiNAl) e fluido de corte ECOCUT 910 (FUCHS®) em abundância. Os implantes foram divididos em dois grupos (n=40): Grupo I (Usinado) e Grupo II (Anodizado). Para anodização eletroquímica foi utilizado o meio Glicerol-H2O DI (50-50 v/v) + NH4F com concentração variando de 0,5 a 1,5 % em massa, tensão de 10 a 30V, tempo de 1 a 3 horas, sob agitação mecânica. Os implantes foram identificados, acondicionados individualmente, esterilizados por meio de radiação gama (25 kGy) e divididos em GI (usinado), GII (usinado/adesivo fibrínico), GIII (usinado/ácido tranexâmico), GIV (usinado/adesivo fibrínico/ácido tranexâmico), GV (anodizado), GVI (anodizado/adesivo fibrínico), GVII (anodizado/ácido tranexâmico) e GVIII (anodizado/adesivo fibrínico/ácido tranexâmico). Na sequência foram implantados em tíbias de 80 ratos machos (250 gramas), os quais foram anestesiados (Xylazina/Ketamina) e tricotomizados em suas patas traseiras direitas. Após incisão, divulsão, acesso ao leito ósseo e perfuração com sobrefresagem (broca única/∅2.5x3.3mm comprimento) sob irrigação com soro fisiológico, os leitos cirúrgicos foram preenchidos...

Descrição

Palavras-chave

Implantes dentários, Osseointegração, Propriedades de superfície, Ácido tranexâmico

Como citar

CAPALBO, Bruna Cabrera. Osseointegração de implantes de titânio recobertos com nanotubos e instalados sem estabilidade primária: influência da associação adesivo fibrínico/ácido tranexâmico. 2014. 44 f. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Odontologia) - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Faculdade de Odontologia de Araçatuba, 2014.