Contos de fadas no ensino fundamental I: analisando os recursos empregados e as estratégias que podem ser adotadas pelas/os docentes na desconstrução de estereótipos sexistas

Imagem de Miniatura

Data

2015-09-11

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

When comes to fairy tales and their own fantastic elements the association with the childhood universe is a common practice. However, the genesis of the stories reveals a link to the oral tradition and were intended for adults. During the written procedure they suffered adaptations to reach the children. Part of different cultures, these tales mix from the rites of passage to the most modern influences shown in the latest versions. As they are considered a cultural artifact of literary heritage, these tales are usually present in the Portuguese curriculum teaching of Brazilian schools. Establishing itself as a qualitative approach, this study had the goal of combine the reality of these institutions in relation to fairy tales to the proposal to reflect on the links of al gender in these stories and about their impact on our behavior. The decision by this theme came from the professional experience permeated by personal need to look for a way to put light at the standard-setting procedures between the school walls, perpetuating the binary intercourses that are built there, as well as in other institutional and social places. This way it was decided to investigate the perceptions of teachers on both the meaning that these narratives represent for them as well as on the methodology used in the classroom, whether they contribute or not to play this perpetuated imbalance between men and women. In order to mark of the analysis, six teachers working in the early grades of the elementary school from a local public school. Having data collection as a goal, it was chosen to do it in three stages. The first through the semi-structured interview. The second consisted in a projective interview and the last was accomplished with the open or in-depth interview. Based on the methodological concepts systematically expressed, it was used as procedure the content analysis and the thematic analysis, in which the ...
Os contos de fadas, por seus elementos fantásticos, costumam estar associados ao universo infantil. No entanto, a gênese dos contos revela que eles pertenceram à tradição oral e foram destinados aos adultos. Na fase escrita, passaram por adaptações até atingir o público infantil. Inseridos em diversas culturas, os contos misturam desde os ritos de passagem até as influências mais modernas contidas nas versões contemporâneas. Por serem considerados um artefato cultural do patrimônio literário, estes contos costumam compor o currículo de Língua Portuguesa das escolas brasileiras. Constituindo-se enquanto abordagem qualitativa, este estudo procurou aliar a realidade destas instituições em relação aos contos de fadas à proposta de refletir sobre as relações de gênero presente nestas histórias e sobre sua incidência em nosso comportamento. A decisão por esse tema adveio da experiência profissional permeada pela necessidade pessoal de buscar aclarar os processos normalizadores que se instituem entre os muros escolares, perpetuando as relações binárias que ali são construídas, bem como em outros espaços institucionais e sociais. Portanto, decidiu-se investigar as percepções das docentes, tanto sobre o significado que estas narrativas representam para elas, como também sobre a metodologia adotada em sala de aula, se contribuem ou não para a reprodução deste desequilíbrio naturalizado entre homens e mulheres. Para delimitar a análise, a pesquisa contou com a participação de seis docentes atuantes nos anos iniciais do ensino fundamental I, em uma escola municipal. Objetivando a coleta dos dados, optou-se por realizá-la em três momentos. O primeiro, por meio da entrevista semiestruturada. O segundo consistiu na entrevista projetiva e o último efetivou-se com a entrevista aberta ou em profundidade. Com base nos conceitos metodológicos expressos...

Descrição

Palavras-chave

Contos de fadas, Relações de gênero, Metodologia, Sexismo, Fairy tales

Como citar

AUGUSTINI, Érica Rodrigues do Nascimento. Contos de fadas no ensino fundamental I: analisando os recursos empregados e as estratégias que podem ser adotadas pelas/os docentes na desconstrução de estereótipos sexistas. 2015. 234 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciencias e Letras (Campus de Araraquara), 2015.