Composição florística e estrutura fitossociológica em área de regeneração natural de cerrado na Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade, Rio Claro, SP

dc.contributor.advisorMonteiro, Reinaldo [UNESP]
dc.contributor.authorAguiar, Flávia Lemos [UNESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.date.accessioned2015-03-23T15:04:57Z
dc.date.available2015-03-23T15:04:57Z
dc.date.issued2011
dc.description.abstractO Estado de São Paulo apresenta poucos remanescentes de vegetação nativa, ameaçados pela expansão urbana e agricultura. Com a grande expansão das atividades silviculturais no país, estudos sobre as contribuições e impactos das florestas plantadas são de grande importância na análise da sucessão secundária e conservação de ambientes naturais. O trabalho teve como objetivo a análise da composição florística e estrutura fitossiológica do estrato arbustivoarbóreo de uma comunidade vegetal regenerante na face norte dos talhões 91G, 91H e 91I, na Floresta Estadual “Edmundo Navarro de Andrade” (FEENA), em Rio Claro, SP, em uma área anteriormente ocupada por Eucalyptus sp, sendo as espécies classificadas quanto as classes sucessionais e síndromes de dispersão. A área correspondente aos talhões 91G, 91H e 91I está incluída no Plano de Manejo como Zona de Recuperação, para posterior inclusão no zoneamento como área permanente. Foram alocadas 28 parcelas com dimensões de 20x10 metros cada, totalizando 0,56 ha amostrados. Os resultados indicaram a presença de 79 espécies pertencentes a 34 famílias, sendo as famílias Fabaceae, Asteraceae, Euphorbiaceae e Myrtaceae as mais representativas em número de espécies. Houve grande abundância e dominância de Virola sebifera e Siparuna guianensis, amplamente distribuídas na área. A maior parte das espécies amostradas é pioneira ou secundária inicial, sendo a grande maioria zoocórica, o que sugere presença de fauna. Foram encontradas muitas espécies generalistas, algumas típicas de floresta e cerrado, portanto, a área assemelha-se a um ecótono de cerrado e floresta estacional semidecidual, com maior abundância e biomassa de espécies generalistas e típicas de cerrado. Dessa forma, a riqueza encontrada foi considerada alta em comparação com outros estudos realizados na FEENA, sendo indicada... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo)pt
dc.format.extent57 p.
dc.identifier.aleph000688612
dc.identifier.citationAGUIAR, Flávia Lemos. Composição florística e estrutura fitossociológica em área de regeneração natural de cerrado na Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade, Rio Claro, SP. 2011. 57 p. Trabalho de conclusão de curso (Ecologia) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2011.
dc.identifier.fileaguiar_fl_tcc_rcla.pdf
dc.identifier.lattes0545015050042632
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/117960
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.sourceAleph
dc.subjectEcologia vegetalpt
dc.subjectEucaliptopt
dc.subjectComunidades vegetaispt
dc.subjectCerradospt
dc.subjectRio Claro (SP)pt
dc.subjectFloresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade (SP)pt
dc.titleComposição florística e estrutura fitossociológica em área de regeneração natural de cerrado na Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade, Rio Claro, SPpt
dc.typeTrabalho de conclusão de curso
unesp.author.lattes0545015050042632
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Instituto de Biociências, Rio Claropt
unesp.undergraduateEcologia - IBRCpt

Arquivos

Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
aguiar_fl_tcc_rcla.pdf
Tamanho:
740.82 KB
Formato:
Adobe Portable Document Format