Taxa de crescimento axial pós-operatório de olhos com catarata congênita e do desenvolvimento submetidos a facectomia com implante de lente intra-ocular

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2015-03-30

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

PURPOSE: Establish, for the eyes with congenital and development cataract, mathematical models to calculate the daily axial growth rate (AGR) and calculation of the axial length (Axl) in any future age, from the age and Axl measured at the time of surgery. METHODS: Retrospective study of children undergoing cataract extraction with IOL implantation between January 2011 and January 2014. We included children with uncomplicated cataract without eye diseases and the age of ten years. Biometric data were obtained with plunge biometer. We carried out the statistical analysis of data and established mathematical formulas to calculate the AGR and Axl. RESTULTS: Were operated on 54 eyes of 33 children, 19 male (57.58%) and 14 female (42.42%). Of the 33 cases analyzed, 12 were unilateral cataracts (36,37%) and 21 were bilateral cataracts (63.63%). In cases of bilateral cataracts was used only the right eye of the data of every child. The sample was divided into 3 groups (unilateral and bilateral cataracts, unilateral cataracts, bilateral cataracts) and for each group was established a mathematical formula to calculate the AGR and Axl. CONCLUSIONS: This study proposes a new way to approach the calculation of IOL, not based on postoperative refractive results but on a daily growth rate (AGR). The generated equations for establishing the daily growth rate at any age and especially to allow predict Axl future from a measured initial Axl. Can not complete with this study that the proposed method is superior to other methods of estimation of eye growth. Comparative studies between them will be needed to assess this accurately
OBJETIVO: Estabelecer, para olhos com catarata congênita e do desenvolvimento, modelos matemáticos para o cálculo da taxa de crescimento axial diário (TCA) e cálculo do comprimento axial (Axl) em qualquer idade futura, a partir da idade e do Axl medido, no momento da cirurgia. MÉTODOS: Estudo retrospectivo de crianças submetidas à facectomia com implante de LIO entre janeiro de 2011 a janeiro de 2014. Foram incluídas crianças com catarata não complicada sem patologias oculares e idade inferior a dez anos. Dados biométricos foram obtidos com biômetro de imersão. Procedeu-se a análise estatística dos dados e estabeleceu-se fórmulas matemáticas para cálculo da TCA e Axl. RESULTADOS: Foram operados 54 olhos de 33 crianças sendo 19 masculinos (57,58%) e 14 femininos (42,42%). Dos 33 casos analisados, 12 eram cataratas unilaterais (36,37%) e 21 eram cataratas bilaterais (63,63%). Nos casos de catarata bilateral utilizou-se apenas os dados do olho direito de cada criança. A amostra foi dividida em 3 grupos (cataratas unilaterais e bilaterais, cataratas unilaterais, cataratas bilaterais) e para cada grupo foi estabelecido uma fórmula matemática para cálculo da TCA e Axl. CONCLUSÕES: O presente estudo propõe uma nova maneira de abordagem no cálculo da LIO, não baseada em resultados refracionais pós-operatório mas em uma taxa de crescimento diário (TCA). As equações geradas permitem estabelecer a taxa de crescimento diária em qualquer idade e principalmente a permitem prever Axl futuro a partir de um Axl inicial medido. Não é possível concluir pelo presente estudo que o método proposto é superior a outros métodos de estimação do crescimento ocular. Estudos comparativos entre eles serão necessários para avaliar esta precisão

Descrição

Palavras-chave

Olhos - Cirurgia, Catarata - Cirurgia, Lentes intra-oculares, Cuidados pos-operatorios, Cataract - Surgery

Como citar

ANDRADE, Guilherme Pessoni de. Taxa de crescimento axial pós-operatório de olhos com catarata congênita e do desenvolvimento submetidos a facectomia com implante de lente intra-ocular. 2015. 34 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Faculdade de Medicina de Botucatu, 2015.