Epidemiologia molecular de Staphylococcus aureus em pacientes internados em hospital psiquiátrico e dependentes químicos atendidos em serviço hospitalar de referência no município de Botucatu, SP

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2017-04-27

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Illicit drug users (IDUs) are recognized as a group at particular risk for staphylococci. In this population the first outbreak of community-associated Staphylococcus aureus (CAMRSA) was described. However, most studies relating S. aureus and MRSA to drug abuse address users of intravenous substances. In Brazil, most dependents are users of inhaled drugs, especially crack. A proportion of these IDUs have multiple passages through recovery clinics. Another institutionalized group still relevant in Brazil are patients with long-term hospitalizations in psychiatric hospitals. In spite of the psychiatric reform and its emphasis on deinstitutionalization, aspects of social vulnerability and abandonment by relatives also determine the residence of patients in psychiatric hospitals. The two groups described above are exposed to different epidemiological pressures and are both at higher risk of invasive staphylococcal disease and in a strategic position for maintenance and dissemination of isolates. The objective of this study was to identify the prevalence and predictors of the carrying of S. aureus and MRSA in IDUs admitted to the Hospital of Reference for Alcohol and Drugs (SARAD) and patients residing in the Psychiatric Hospital Cantídio de Moura Campos, both located in Botucatu , São Paulo State, Brazil. Molecular characterization of MRSA isolates was performed. A total of 220 subjects were enrolled, 138 from the SARAD and 82 from the psychiatric hospital. The prevalences of S. aureus and MRSA for the two services were 26.8% / 4.5% and 24.3% / 7.3%, respectively. The use of inhaled cocaine was associated with increased carryiage of S. aureus among chemical dependents, while age was negatively associated with this outcome in the patients of the psychiatric hospital. Analysis of 14 MRSA isolates from 10 subjects revealed a cluster comprising 8 isolates from 5 subjects. Our findings suggest that the prevalence of MRSA colonization in the groups studied is higher than that found in the general population. These groups are therefore more vulnerable to difficult-to-treat infections and can contribute to the spread of MRSA in their social networks and in the population as a whole.
Usuários de drogas ilícitas (UDI) são reconhecidos como grupo de especial risco para estafilococcias. Nessa população foi descrito o primeiro surto de Staphylococcus aureus associados à comunidade (CA-MRSA). No entanto, a maior parte dos estudos relacionando S. aureus e MRSA a drogadição aborda usuários de substâncias endovenosas. No Brasil, a maior parte de dependentes é usuário de drogas inalatórias, especialmente o crack. Uma parcela destes dependentes tem múltiplas passagens por clínicas de recuperação. Um outro grupo institucionalizado ainda relevante no Brasil são os pacientes com internações de longa permanência em hospitais psiquiátricos. A despeito da reforma psiquiátrica e sua ênfase na desinstitucionalização, aspectos de vulnerabilidade social e abandono por familiares determinam ainda a residência de pacientes em hospitais psiquiátricos. Os dois grupos descritos acima são expostos a diferentes pressões epidemiológicas e estão tanto em maior risco de doença estafilocóccica invasiva quanto em posição estratégica para manutenção e disseminação de isolados. Este estudo teve por por objetivo identificar a prevalência e fatores preditores do carreamento de S. aureus e MRSA em UDI internados no Serviço Hospitalar de Referência de Álcool e Drogas (SARAD) e pacientes residentes no Hospital Psiquiátrico Cantídio de Moura Campos, ambos localizados em Botucatu, SP. Caracterização molecular de isolados de MRSA foi realizada. Foram estuados 220 sujeitos, 138 do SARAD e 82 do hospital psiquiátrico. As prevalências de S. aureus e MRSA para os dois serviços foram 26,8%/4,5% e 24,3%/7,3%, respectivamente. O uso de cocaína inalatória foi associado a maior carreamento de S. aureus entre dependentes químicos, enquanto a idade apresentou associação negativa com esse desfecho nos pacientes do hospital psiquiátrico. A análise de 14 isolados de MRSA obtidos de 10 sujeitos da pesquisa revelou um cluster englobando 8 isolados de 5 sujeitos. Ao todo, foram identificados isolados carreando SCCmec tipo IV (7 sujeitos), I (2 sujeitos) e II (1 sujeito). Nossos achados sugerem que prevalência de colonização por MRSA nos grupos estudados é superior àquela encontrada na população geral. Esses grupos são portanto, mais vulneráveis a infecções de difícil tratamento e podem contribuir para disseminação do MRSA em suas redes sociais e na população como um todo.

Descrição

Palavras-chave

Usuários de drogas ilícitas, Hospitais psiquiátricos, Staphylococcus aureus, MRSA, Epidemiologia molecular, Illicit drug users, Psychiatric hospitals, Molecular epidemiology

Como citar