O número de técnicos e técnicas que comandam equipes masculinas e femininas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2010

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

It is known that gymnastics and sports, for the most part, were made by men for men, and its practice was almost exclusively for males, especially until the First World War. Vestiges of this strong male influence in sports still remain to this day, especially in leadership positions. It is clear that most sports, both male and female, are mostly coached by men. Thus, this study aimed to examine, through quantiqualitative research, the number of women and men who lead male and female volleyball, basketball and soccer elite teams, participating in the most important national championships, and the number of men and women graduated in physical education courses in Brazil in order to check a possible relationship between the low number of women working as a coach and the percentage of women graduated in physical education. For the acquisition of data, Internet searches were made on the sites of confederations, leagues and sports leagues selected for the study, and on the site of the National Institute of Educational Studies Anísio Teixeira (INEP). It was identified that the total number of graduates from 1995 to 2008 was 192,707, with 99,869 men and 92,838 women, showing a balance between these numbers, which did not happen with the numbers of male and female coaches. The data indicated that no women worked as a coach in male and female volleyball teams in the seasons 2006 to 2010, no woman worked as a coach in the male basketball teams in the seasons from 2000 to 2010, and only an average of 1.67 women led female basketball teams in the seasons 1998 to 2010, and no woman has ever worked as a coach for male soccer teams, while only an average of 2.67 women acted as a coach of female soccer teams. The difference between the number of men and women graduated in physical education is small and does not justify the low ...(Complete abstract click electronic access below)
É conhecido que os esportes, em sua grande maioria, foram criados por homens e para os homens, e sua prática era quase exclusiva para o sexo masculino, sobretudo até a Primeira Guerra Mundial. Resquícios dessa forte influência masculina nos esportes ainda permanecem até os dias de hoje, principalmente nos cargos de liderança. É possível observar que grande parte das modalidades esportivas, tanto femininas como masculinas, são predominantemente dirigidas por homens. Dessa maneira, essa pesquisa teve como objetivo analisar, por meio de pesquisa quanti-qualitativa, o número de mulheres e homens que comandam equipes de elite masculinas e femininas de voleibol, basquetebol e futebol, participantes dos principais campeonatos nacionais, e o número de homens e mulheres concluintes dos cursos de educação física no Brasil, a fim de verificar se há uma possível relação entre o baixo número de mulheres trabalhando como técnicas e a porcentagem de mulheres concluintes de graduação em educação física. Para a aquisição dos dados, foram feitas buscas nos sites das confederações, ligas e campeonatos dos esportes selecionados para o estudo, e no site do Instituto Nacional Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Foi identificado que o número total de concluintes de 1995 a 2008 foi de 192707, sendo 99869 homens e 92838 mulheres, mostrando um equilíbrio entre esses números, o que não aconteceu com os números de técnicos e técnicas. Os dados indicaram que nenhuma mulher trabalhou como técnica de voleibol em equipes masculinas e femininas nas temporadas de 2006 a 2010; nenhuma mulher trabalhou como técnica de equipes masculinas de basquetebol nas temporadas de 2000 a 2010, e somente uma média de 1,67 mulheres liderou equipes femininas de basquete nas temporadas de 1998 a 2010; nenhuma mulher...(Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo)

Descrição

Palavras-chave

Esportes - Administração, Genero, Esportes, Liderança

Como citar

OISHI, Sissy Bianca Maia. O número de técnicos e técnicas que comandam equipes masculinas e femininas. 2010. 41 f. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Educação física) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2010.