Metodologia para a Quantificação da Exalação do Gás Radônio em Rochas Ornamentais

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2013-10-17

Autores

ARTUR, Antonio Carlos [UNESP]
Bonotto, Daniel Marcos [UNESP]
AMARAL, Paulo Giovany Quadros do [UNESP]
GALEMBECK, Tamar Milca Bortolozzo [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Este trabalho descreve um método para quantificar o gás radônio exalado em rochas ornamentais implementado no DPM/IGCE/UNESP de Rio Claro. O gás radônio é radioativo, sendo considerado cancerígeno, o que reforça a necessidade da realização de estudos focando a sua presença no meio ambiente. Alguns métodos para quantificar o radônio exalado de rochas são complicados, precisando de várias etapas em laboratório para que sejam obtidos os dados, o que conduz à perda do gás na medida em que aumenta o tempo para a aquisição dos resultados. A técnica empregada é de fácil uso para se obter os resultados, adquiridos na forma de ciclos de medidas. O principal desafio consistiu no acondicionamento das amostras para a análise em recipiente que mantivesse certa pressão de vácuo interna por período relativamente longo, equivalente aos 25 dias necessários para que o 222Rn atinja seu equilíbrio radioativo, e que permitisse sua conexão ao aparelho medidor do gás sem interferência do ar do meio externo. Os procedimentos permitiram a realização do monitoramento e a quantificação do radônio para várias amostras de rochas ornamentais, contribuindo para o avanço das pesquisas sobre o comportamento e difusão desse gás em materiais pétreos.

Descrição

Palavras-chave

Como citar

Geociências, v. 32, n. 1, 2013, p. 166-180.