METODOLOGIAS INDIRETAS DE MENSURAÇÃO DA ERODIBILIDADE DO SOLO E CARACTERIZAÇÃO DA VARIABILIDADE ESPACIAL

Resumo

El presente estudio tuvo como objetivo analizar diferentes metodologías indirectas para medir la erosionabilidad del suelo, así como caracterizar su variabilidad espacial mediante el uso de técnicas geoestadísticas. Para ello, se adoptó como estudio de caso la Cuenca del Río Pântano (CRP) en el estado de Mato Grosso do Sul, Brasil. Las metodologías que mejor representaron las estimaciones de la erosionabilidad em la CRP fueron las propuestas de Sharpley y Williams (Latossolo Rojo Distrófico Álico y Planossolo Álico), Wischmeier y Smith (Latossolo Rojo Distrófico) y Renard (Argissolo Rojo Distrófico y Argissolo Rojo-Amarillo). El mapa final, que se compuso de un mosaico de las metodologías que mejor representaban cada tipo de suelo, indicó las siguientes clases de erosionabilidad: medio (46,4% de la CRP, predominantemente en Argissolos Rojos); bajo (45,1%, predominantemente en Latossolos); muy bajo 0,5% y muy alto 7,9% de la cuenca (predominantemente en Argissolos Rojo-Amarillos).
O presente estudo objetivou analisar diferentes metodologias indiretas para mensuração da erodibilidade do solo, bem como caracterizar a sua variabilidade espacial na Bacia Hidrográfica do Rio Pântano (BHRP), Mato Grosso do Sul. Avaliou-se nove metodologias/adaptações aplicadas aos dados de 103 amostras de solo abrangendo os principais tipos existentes na bacia. Os dados passaram por uma proposta de validação e posteriormente por análise estatística descritiva e de correlação. Realizou-se também a análise da dependência espacial e mapeamento por krigagem. As metodologias que melhor representaram a erodibilidade do solo na BHRP foram dadas pelas propostas de Sharpley e Williams (Latossolos Vermelho-Escuros e Planossolos), Wischmeier e Smith (Latossolos Roxos) e, Renard (Podzólicos Vermelho-Escuros e Vermelho-Amarelos). O mapa final, indicou erodibilidade média (46,4% da BHRP), baixa (45,1%), muito baixa 0,5% e, muito alta 7,9% da área da bacia. Concluiu-se que o uso de uma única metodologia pode subestimar ou superestimar a erodibilidade do solo.

Descrição

Palavras-chave

Bacia Hidrográfica do Rio Pântano, Erosão do solo, Krigagem, Manejo e conservação do solo, Mato Grosso do Sul

Como citar

Mercator (Fortaleza). Universidade Federal do Ceará, v. 20, p. -, 2021.

Coleções