Mistura de adjuvantes com herbicidas para controle de plantas daninhas e efeitos na tensão superficial e ângulo de contato

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-05-25

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A adoção de misturas de produtos fitossanitários com adjuvantes em pulverizações agrícolas tornou-se uma prática comumente utilizada. O uso de adjuvantes pode possibilitar a compatibilização dos produtos na calda fitossanitária, melhorar a distribuição das gotas e também o depósito da mesma sobre os alvos. O presente trabalho objetivou avaliar o efeito de misturas de glifosato + clorimuron etílico em associação com diferentes adjuvantes no controle de plantas daninhas, além de avaliar seus efeitos na tensão superficial e no ângulo de contato de gotas. Foram realizadas experimentações em casa de vegetação com plantas de picão-preto (Bidens pilosa L.) e capim-braquiária [Urochloa ruziziensis (R. Germ. and C.M. Evrard) Crins] cultivadas em condições semi-controladas, durante dois períodos. Adotou-se o delineamento inteiramente casualizado com 5 tratamentos e 4 repetições, sendo cada repetição composta por dois vasos. Os tratamentos incluíram uma testemunha, caldas com glifosato + clorimuron etílico sozinho e em associação com três adjuvantes diferentes para cada espécie de planta daninha. Avaliou a tensão superficial e o ângulo de contato de gotas de cada tratamento bem como o controle das duas espécies de plantas daninhas. Realizou a análise de correlação e notou-se que os resultados de tensão superficial e ângulo de contato indicaram que os adjuvantes com os melhores potenciais de espalhamento e molhamento foliar foram Amphosol CDB-HP e Toximul TAABS-5 quando associados a calda de glifosato + clorimuron etílico. Com base nos resultados, conclui-se que não houve diferenças estatísticas no controle de B. pilosa e U. ruziziensis para todos os tratamentos com e sem adjuvantes (>96%) aos 28 DAA e também na redução da matéria seca. Porém, observou-se uma informação muito importante, principalmente no controle aos 7 DAA, onde para U. ruziziensis, a mistura de herbicidas com os adjuvantes Ammonyx LMDO e Ammonyx LO BR apresentaram um significativo controle inicial. E para B. pilosa, as misturas de herbicidas com os adjuvantes Amphosol CDB-HP, Stepgrow GP 103 e Stepan AG 2006 apresentaram um maior controle no arranque inicial. E para B. pilosa, nota-se que aos 14 DAA, as plantas daninhas já estavam praticamente controladas. Logo, todas essas informações são valiosas quando pensamos em controle inicial, timing de aplicação e período de reentrada.
The adoption of mixtures of phytosanitary products with adjuvants in agricultural sprays has become a commonly used practice. The use of adjuvants can make it possible to make the products compatible in the phytosanitary solution, improve the distribution of drops and also the deposit of the same on the targets. The present work aimed to evaluate the effect of mixtures of glyphosate + ethyl chlorimuron in association with different adjuvants on weed control, in addition to evaluating their effects on surface tension and droplet contact angle. Experiments were carried out in a greenhouse with black beak (Bidens pilosa L.) and signal grass [Urochloa ruziziensis (R. Germ. and C.M. Evrard) Crins] plants cultivated under semi-controlled conditions, during two periods. A completely randomized design was adopted with 5 treatments and 4 replications, with each replication consisting of two pots. The treatments included a control, sprays with glyphosate + ethyl chlorimuron alone and in association with three different adjuvants for each weed species. The surface tension and droplet contact angle of each treatment were evaluated, as well as the control of the two weed species. A correlation analysis was performed and it was noted that the surface tension and contact angle results indicated that the adjuvants with the best spreading potential and leaf wetness were Amphosol CDB-HP and Toximul TAABS-5 when combined with glyphosate + chlorimuron spray. ethyl. Based on the results, it is concluded that there were no statistical differences in the control of B. pilosa and U. ruziziensis for all treatments with and without adjuvants (>96%) at 28 DAA and also in the reduction of dry matter. However, a very important information was observed, mainly in the control at 7 DAA, where for U. ruziziensis, the mixture of herbicides with the adjuvants Ammonyx LMDO and Ammonyx LO BR showed a significant initial control. And for B. pilosa, herbicide mixtures with Amphosol CDB-HP, Stepgrow GP 103 and Stepan AG 2006 adjuvants showed greater control at initial start-up. And for B. pilosa, it is noted that at 14 DAA, the weeds were practically controlled. Therefore, all this information is valuable when we think about initial control, application timing and re-entry period.

Descrição

Palavras-chave

Erva daninha, Aplicação de produtos químicos agrícolas, Herbicidas, Tecnologia

Como citar