Capacitação técnica de agricultores assentados na fazenda Pirituba em planejamento e manejo de sistemas agroflorestais (SAFS), município Itapeva/SP

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2005

Autores

Vieira, Ana Carolina Casemiro [UNESP]
Vianello, Mauro Sergio [UNESP]
Carvalho, Izabel de [UNESP]
Demétrio, Bruna Gomes [UNESP]
Pedrosa, Eduardo Callera [UNESP]
Lombardi, Araê Claudinei [UNESP]
Stuchi, Júlia Franco [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Introdução: as seis áreas do Projeto de Assentamentos da Fazenda Pirituba abrigam cerca de 450 famílias de trabalhadores. O sistema agrícola predominante tem eixo na monocultura e utilização intensiva de insumos externos, promovendo o aumento dos custos de produção, sobretudo no uso dos recursos não renováveis favorecendo os danos ambientais. Objetivos: ferecer cursos de capacitação técnica em planejamento e manejo de Sistemas Agroflorestais, incentivando a discussão sobre a transição em direção a outros modelos que tragam maiores benefícios sócio-econômicos e ambientais.Os SAFs são formas de uso e manejo dos recursos naturais, sendo um sistema racional e eficiente de uso da terra, no qual espécies lenhosas são cultivadas em consórcio com culturas agrícolas e/ou criação animal, promovendo a recuperação da fertilidade do solo, o fornecimento de adubos verde e o controle de plantas daninhas. Métodos: As atividades são discutidas e planejadas em conjunto com os assentados, através de procedimentos participativos. Foi destinada uma área de 6000 m2 para implantação de um SAF experimental–piloto. Desde janeiro de 2003 foram realizadas atividades para escolha da área e das espécies vegetais, dentre as quais, espécies arbóreas frutíferas e lenhosas nativas consorciadas com espécies de cultivo bianuais, provenientes do viveiro existente no assentamento e outras doadas pelo viveiro de de mudas da Faculdade de Ciências Agronômicas – FCA/Unesp, ainda, foram ministradas palestras sobre sistemas agrícolas integrados, diade- campo em cultivo orgânico, preparo da área e semeadura de adubos verdes, plantio de espécies florestais, plantio de espécies frutíferas. Resultados: Verificou-se que: (a) as famílias já desenvolviam práticas agrícolas alternativas (cultivo de quintais agroflorestais, produção orgânica de hortaliças e feijão, fruticultura orgânica e criação de pequenos animais), (b) parte significativa dos assentados expressam a demanda por informações sobre sistemas produtivos que viabilizem a produção de alimentos mais saudáveis e nutritivos, e a conservação do meio ambiente, (c) a expectativa de que possa trazer maior retorno financeiro. Esta experiência procura, valorizar a produção de conhecimentos pela própria comunidade, a troca de informações e de experiências entre os agricultores, e também, entre estes e a equipe técnica da Faculdade. Espera-se que no médio e longo prazo esta experiência possa gerar e ampliar a conscientização e a responsabilidade socioambiental de parcelas dos trabalhadores, gere maior autonomia para os agricultores e maior sustentabilidade da produção, além de contribuir para a formação profissional dos estudantes participantes, com conteúdo de cidadania e respeito às formas de produção e ao modus vivendi do agricultor familiar.

Descrição

Palavras-chave

Como citar

CONGRESSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA, 3., 2005, Águas de Lindólia. Anais... São paulo: PROEX; UNESP, 2005. p. 005