Ecology of a stream from upper Paraná River basin inhabited by Aspidoras fuscoguttatus Nijssen & Isbrüker, 1976 (Siluriformes, Callichthyidae)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2003-08-01

Autores

Araujo, R. B. de [UNESP]
Garutti, V. [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Instituto Internacional de Ecologia

Resumo

A maioria das informações disponíveis sobre cascudos do gênero Aspidoras é proveniente de observações em aquário. No presente estudo, foram investigados aspectos da ecologia de Aspidoras fuscoguttatus em um riacho de primeira ordem na região de São José do Rio Preto, SP, incluindo caracterização do ambiente, levantamento da ictiofauna associada e análise de estratégias utilizadas na ocupação dos diferentes microhabitats do riacho. Os dados foram coletados mensalmente em três pontos (nascente, curso médio e desembocadura) no período de agosto de 1999 a julho de 2000. Os maiores valores de temperatura, condutividade elétrica, turbidez, alcalinidade, largura, profundidade e velocidade da água foram obtidos na estação chuvosa. As concentrações de oxigênio dissolvido apresentaram diferenças significativas entre os três pontos e em todos os meses amostrados, exceto setembro. Na composição do substrato, houve predomínio de areia, silte e argila no curso médio e na desembocadura, tanto na estação chuvosa como na seca. Na nascente ocorreu considerável aumento da fração arenosa no período chuvoso. Foram identificadas na vegetação marginal e aquática 30 espécies de macrófitas e 5 de algas. Quanto à fauna, foram encontrados girinos de Anura e invertebrados dos grupos Mollusca, Crustacea, Arachnida e 8 ordens de Insecta. A. fuscoguttatus foi encontrado em todo o riacho em simpatria com 6 espécies de peixes. No curso médio, a análise de agrupamentos revelou associação entre imaturos de A. fuscoguttatus e baixa profundidade, evidenciando provável função da profundidade nessa fase do desenvolvimento ontogenético. Os resultados indicam que essa espécie apresenta plasticidade em termos de microhabitat, incluindo comportamento de respiração aérea em condições de hipóxia, inédito no gênero Aspidoras.
Resumo Most information on catfishes of the genus Aspidoras has focused species kept in aquaria, in non-natural conditions. Biotic and abiotic parameters of environment inhabited by Aspidoras fuscoguttatus, associated ichthyofauna, as well as strategies involved in the successful occupation of different microhabitats in a first order stream, located in São José do Rio Preto, São Paulo State, were investigated. Data collection was monthly performed at three segments (headwaters, middle course, and mouth) from August 1999 to July 2000. The greatest values of water temperature, conductivity, turbidity, alkalinity, width, depth, and current velocity were obtained in the rainy season. Dissolved oxygen levels showed significant differences among three segments in all sampling months, except for September. Substrate composition was predominantly sandy, followed by silt and clay in middle course and mouth in rainy as much as in dry seasons. In headwaters a large increase of the sandy fraction occurred in the rainy season. In the marginal and aquatic vegetation 30 species of macrophytes and 5 of macroalgae were identified. The fauna included tadpoles of Anura and macroinvertebrates (Mollusca, Crustacea, Arachnida, and 8 orders of Insecta). A. fuscoguttatus was found throughout the entire stream in sympatry with 6 fish species. In middle course, cluster analysis revealed an association between A. fuscoguttatus immatures and low depth, suggesting a probable function of depth in that stage of ontogenetic development of catfishes. The results indicate that A. fuscoguttatus present plasticity in terms of microhabitat, including air breathing behavior in hypoxic conditions, previously unknown in genus Aspidoras.

Descrição

Palavras-chave

ecology, Stream, microhabitat, Aspidoras fuscoguttatus, Callichthyidae, Ecologia, riacho, microhabitat, Aspidoras fuscoguttatus, Callichthyidae

Como citar

Brazilian Journal of Biology. Instituto Internacional de Ecologia, v. 63, n. 3, p. 363-372, 2003.