Efeitos clínicos e comportamentais da injeção de medetomidina em equinos pré-medicados com hioscina

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2009-06-26

Orientador

Valadão, Carlos Augusto Araújo

Coorientador

Pós-graduação

Cirurgia Veterinária - FCAV

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

Entre os animais domésticos, os equinos são os que apresentam maior taxa de mortalidade sob intervenção anestésica, sendo a principal causa a depressão cardiovascular. Os agonistas 2 produzem efeitos sedativos e analgésicos, porém, causam hipertensão transitória seguida de hipotensão, bradicardia com redução do débito cardíaco, às vezes, associada ao bloqueio atrioventricular de segundo grau. A medetomidina é um agonista 2 de alta especificidade produzindo sedação e analgesia mais profundas e duradouras em relação aos outros agentes desta classe. A hioscina minimiza os efeitos cardíacos dos agonistas 2, com discreto efeito sobre a motilidade gastrintestinal dos equinos. Avaliaram-se os efeitos clínicos e comportamentais induzidos pela injeção de medetomidina em oito equinos pretratados com hioscina por via IV ou IM ou solução de NaCl 0,9% alocados em três grupos: GSFM (grupo solução de NaCl 0,9% seguida de medetomidina, dose 7,5 g/kg); GHivM (grupo hioscina IV, dose de 0,14 mg/kg, seguida de medetomidina); e GHimM (hioscina IM, dose de 0,3 mg/kg, seguida de medetomidina). O segundo fármaco foi aplicado cinco minutos após o primeiro. A hioscina, tanto por via IV quanto por via IM elevou significativamente a FC, as pressões arteriais e o débito cardíaco. Houve diminuição da PA no GHivM. Houve diminuição significativa na f e na altura da cabeça nos três grupos. Não houve diferenças significativas na PaO2 e PaCO2. A hioscina diminuiu o tempo de sedação, sendo este efeito dependente de dose. A hioscina, tanto por via intravenosa quanto por via intramuscular preveniu os efeitos cardiovasculares da medetomidina, sendo que por via intramuscular, este efeito foi mais tardio, porém de maior duração.

Resumo (inglês)

Between domestic animals, the horses have the biggest mortality rate during general anaesthesia, and the main cause is the cardiovascular depression. The 2 agonist produces sedative and analgesic effects, but they produce transitory hypertension followed by hypotension, bradycardia with decrease in cardiac output, and, sometimes, second-degree atrioventricular block. The medetomidine is a high specificity the 2 agonist producing sedation and analgesia more profound than other being more potent than the other 2 agonist. The hyoscine minimizes the cardiovascular effects of 2 agonist and has minimal effects over the gastrointestinal tract. We evaluated the behavioural and clinical effects of medetomidine in eight horses pre-treated with IV or IM hyoscine put in three groups: GSFM (group NaCl 0,9% solution before medetomidine, at dose 7.5 g/kg); GHivM (group IV hyoscine, at dose 0.14 mg/kg, before medetomidine); GHimM (group IM hyoscine, at dose 0.3 mg/kg, before medetomidine). The second drug was administered five minutes after first. The IV and IM hyoscine increased significantly the heart rate, the arterial pressures and the cardiac output. Fall in MAP had occurred late in the group GHivM. There were significantly decrease in respiration rate and head height in all groups. There were no changes in partial pressure of oxygen and carbonic gas. The hioscyne reduced the sedation time, dose-dependent. Both intravenous and intramuscular hioscyne administrations prevented the cardiovascular effects of medetomidine. The intramuscular route started your effect late, but lasted more than the intravenous administration.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

PEROTTA, João Henrique. Efeitos clínicos e comportamentais da injeção de medetomidina em equinos pré-medicados com hioscina. 2009. xxv, 86 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2009.