Os cantorais mercedários impressos em Lisboa em finais do século XVIII para uso no Convento das Mercês do Pará

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-03-28

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Em matéria publicada no jornal "A Província do Pará" de 18 de outubro de 1992, o historiador, antropólogo e folclorista paraense, Vicente Salles, anunciava sua mais recente aquisição: um livro com título em latim, impresso para ser usado no Convento das Mercês de Belém do Pará. O pesquisador o batizou de "antifonário de João da Veiga" - nome do comendador do convento, impresso na folha de rosto do livro. Entre seus achados, era um dos volumes pelo qual devotava mais zelo e interesse, por ter certeza que era um dos mais raros. Apoiando-se na opinião do musicólogo Clavier Filho, defendia que o livro "ressalta a importância do cantochão ibérico na construção do folclore musical amazônico". Em sua tese de doutorado, Paulo Castagna pronunciou-se sobre o livro, confirmando a raridade e importância do volume: "a primeira publicação propriamente litúrgica por autor brasileiro é o Rituale sacri de João da Veiga, com texto e melodias tridentinas". Este trabalho tem o intuito de analisar o Ritual das Mercês do Pará e investigar a origem de seu conteúdo, confrontando-o com outros livros de origem européia, por meio da elaboração de aparatos críticos para os textos e melodias. Também foram investigadas as motivações e necessidade do frei João da Veiga realizar essa obra, a partir do levantamento da história mercedária e seus elementos litúrgico-musicais, e da história da presença da Ordem no Pará, que ainda é repleta de lacunas. Concluiu-se que o Ritual das Mercês do Pará é semelhante a outro ritual mercedário de origem espanhola - expandido com outras cerimônias de origem tridentina portuguesa ou da própria Ordem - que manteve as melodias mercedárias para suas cerimônias próprias mas as substituiu por melodias de livros portugueses nas cerimônias do calendário universal. Concluiu-se, também, que João da Veiga compilou o ritual para uso no processo de formação de noviços já que buscava reformar a Ordem no Pará por meio dos novos frades que ingressassem no convento, e seu conteúdo foi alterado para conter as cerimônias e melodias que eram usadas nas igrejas do Bispado do Pará, na segunda metade do século XVIII.
In an article published in the newspaper "A Província do Pará" on October 18, 1992, the historian, anthropologist, and folklorist from Pará, Vicente Salles, announced his most recent acquisition: a book with a Latin title, printed to be used in the Convent of Mercedarian friars in Belém, on Pará. The researcher named it "João da Veiga's antiphonary" - the name of the commander of the convent, printed on the book's title page. Among his findings, it was one of the volumes for which he devoted the most care and interest, as he was certain it was one of the rarest. Drawing on the opinion of musicologist Clavier Filho, he argued that the book "highlights the importance of Iberian plainchant in the construction of Amazonian musical folklore". In his doctoral thesis, Paulo Castagna spoke on the book, confirming the rarity and importance of the volume: "the first properly liturgical publication by a Brazilian author is João da Veiga's Rituale sacri, with Tridentine texts and melodies". This work aims to analyze the mercedarian Ritual of friars from Pará and investigate the origin of its content, comparing it with other books of European origin, through the development of critical apparatus for texts and melodies. The motivations and needs of Friar João da Veiga to carry out this work were also investigated, based on the history of the Mercedarian order and its liturgical-musical elements, and the history of the Order's presence in Pará, which is still full of gaps. It was concluded that the Ritual of Mercês in Pará is similar to another Mercedarian ritual with Spanish origin -- expanded with other ceremonies of Portuguese Tridentine origin or of the Order itself -- which maintained Mercedarian melodies for its own ceremonies but replaced them with melodies from Portuguese books in universal calendar ceremonies. It was also concluded that João da Veiga compiled the ritual for use in the process of training novices as he sought to reform the Order in Pará through new friars who entered the convent, and its content was altered to contain the ceremonies and melodies that were used in the churches of the Bishopric of Pará in the second half of the 18th century.
En un artículo publicado en el periódico “A Província do Pará” el 18 de octubre de 1992, el historiador, antropólogo y folclorista paraense Vicente Salles anunció su adquisición más reciente: un libro con título en latín impreso para ser utilizado en el Convento de las Mercédarias en Belém do Pará. El investigador lo bautizó como “antifonario de João da Veiga”, en honor al comendador del convento, impreso en la página de título del libro. Entre sus hallazgos, era uno de los volúmenes por los cuales dedicaba más cuidado e interés, ya que estaba seguro de que era uno de los más raros. Basándose en la opinión del musicólogo Clavier Filho, argumentaba que el libro “destaca la importancia del canto llano ibérico en la construcción del folklore musical amazónico”. En su tesis doctoral, Paulo Castagna habló sobre el libro, confirmando la rareza e importancia del volumen: “la primera publicación propiamente litúrgica por autor brasileño es el Rituale sacri de João da Veiga, con textos y melodías tridentinas”. Este trabajo tiene como objetivo analizar el Ritual de la Merced del Pará y investigar el origen de su contenido, comparándolo con otros libros de origen europeo, mediante el desarrollo de aparatos críticos para los textos y melodías. También se investigaron las motivaciones y necesidades del fraile João da Veiga para llevar a cabo esta obra, basándose en la historia de la Orden de la Merced y sus elementos litúrgico-musicales, y la historia de la presencia de la Orden en Pará, que todavía está llena de lagunas. Se concluyó que el Ritual de la Merced del Pará es similar a otro ritual mercenario de origen español - expandido con otras ceremonias de origen tridentino portugués o de la propia Orden - que mantuvo las melodías mercenarias para sus propias ceremonias, pero las reemplazó por melodías de libros portugueses en las ceremonias del calendario universal. También se concluyó que João da Veiga compiló el ritual para utilizarlo en el proceso de formación de novicios, ya que buscaba reformar la Orden en Pará a través de los nuevos frailes que ingresaban en el convento, y su contenido se modificó para contener las ceremonias y melodías que se utilizaban en las iglesias del Obispado de Pará en la segunda mitad del siglo XVIII.
In un articolo pubblicato sul giornale “A Província do Pará” del 18 ottobre 1992, lo storico, antropologo e folclorista paraense Vicente Salles annunciava il suo più recente acquisto: un libro dal titolo in latino, stampato per essere utilizzato nel Convento delle Mercede di Belém nel Pará. Il ricercatore lo ha chiamato “antifonario di João da Veiga” - nome del commendatore del convento, stampato sulla pagina del titolo del libro. Tra i suoi ritrovamenti, questo era uno dei volumi a cui dedicava maggior cura e interesse, essendo certo che fosse uno dei più rari. Basandosi sull'opinione del musicologo Clavier Filho, sosteneva che il libro “evidenzia l'importanza del canto liturgico iberico nella costruzione del folklore musicale amazzonico”. Nella sua tesi di dottorato, Paulo Castagna si è pronunciato sul libro, confermando la rarità e l'importanza del volume: “la prima pubblicazione liturgica propria di un autore brasiliano è il Rituale sacri di João da Veiga, con testo e melodie tridentine”. Questo lavoro ha lo scopo di analizzare il Rituale delle Mercede del Pará e investigare l'origine del suo contenuto, confrontandolo con altri libri di origine europea, mediante l'elaborazione di apparati critici per i testi e le melodie. Sono state anche investigate le motivazioni e la necessità del frate João da Veiga di realizzare quest'opera, a partire dalla storia mercedaria e dai suoi elementi liturgico-musicali, e dalla storia della presenza dell'Ordine nel Pará, che è ancora piena di lacune. Si è concluso che il Rituale delle Mercede del Pará è simile ad un altro rituale mercedario di origine spagnola - espanso con altre cerimonie di origine tridentina portoghese o dell'Ordine stesso - che ha mantenuto le melodie mercedarie per le sue cerimonie proprie, ma le ha sostituite con melodie di libri portoghesi nelle cerimonie del calendario universale. Si è anche concluso che João da Veiga ha compilato il rituale per l'uso nel processo di formazione dei novizi, poiché cercava di riformare l'Ordine a Pará attraverso i nuovi frati che entravano nel convento, e il suo contenuto è stato modificato per contenere le cerimonie e le melodie che venivano utilizzate nelle chiese della diocesi del Pará, nella seconda metà del XVIII secolo.

Descrição

Palavras-chave

Música sacra, Canto gregoriano, Objetos litúrgicos, Igreja Católica - Ritos e cerimônias

Como citar

GABY, André Alves. Os cantorais mercedários impressos em Lisboa em finais do século XVIII para uso no Convento das Mercês do Pará. Tese (Doutorado em Música), Instituto de Artes, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2023.