Etiologia microbiana e multirresistência aos antimicrobianos em isolados obtidos de infecções umbilicais em borregos diagnosticados por espectrometria de massas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2024-04-19

Orientador

Ribeiro, Márcio Garcia

Coorientador

De Nardi Júnior, Geraldo
Martins, Lorrayne de Souza
Motta, Rodrigo Garcia

Pós-graduação

Medicina Veterinária - FMVZ 33004064022P3

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso restrito

Resumo

Resumo (português)

Os primeiros meses após o nascimento são considerados críticos na vida do cordeiro, em virtude da elevada ocorrência de mortalidade secundária às infecções umbilicais, comumente relacionadas ao consumo inadequado de colostro, deficiências na antissepsia umbilical pós-parto e manutenção dos animais recém-nascidos em ambientes com sujidades, fezes e umidade. Apesar dos prejuízos causados na ovinocultura, número restrito de estudos tem investigado os agentes causais de onfalopatias infecciosas em cordeiros, ficando restritos a relatos de caso e com o diagnóstico em nível de espécie dos micro-organismos usualmente baseados em testes fenotípicos convencionais. Diante deste cenário, o presente estudo investigou a etiologia microbiana das infecções umbilicais em cordeiros - diagnosticada por espectrometria de massas -, os escores de gravidade clínica das lesões umbilicais (escore 1 ou leve, escore 2 ou moderada e escore 3 ou grave) e a ocorrência de multirresistência dos isolados aos antimicrobianos. Foram coletados assepticamente suabes umbilicais de 128 cordeiros com sinais clínicos de infecções umbilicais e de 41 cordeiros hígidos. Os suabes foram submetidos ao cultivo microbiológico, teste de sensibilidade microbiana in vitro e identificação dos micro-organismos por espectrometria de massas. Foram identificados 214 micro-organismos (bactérias e leveduras) em amostras de infecção umbilical e 116 isolados em cordeiros sadios. Nos casos de infecções umbilicais, foi observado predomínio do grupo das enterobactérias (87/214=41%), com associação significante (p<0,05) da Escherichia coli (24/214=11%) em cordeiros com escores 2 e 3 de gravidade clínica. Em cordeiros sadios, ampla variedade de bactérias foi isolada com número expressivo de micro-organismos gram-positivos, com predomínio de Desemzia incerta (14/116=12%). Nas infecções umbilicais envolvendo bactérias gram-negativas, gentamicina foi o antimicrobiano mais efetivo (106/131=81%), enquanto os isolados foram resistentes principalmente a ampicilina (66/87=75%). Para as bactérias gram-positivas, a amoxicilina com ácido clavulânico apresentou boa eficácia (20/26=77%). A multirresistência bacteriana foi observada em 20% (36/182) dos isolados obtidos de infecção umbilical. Dentre 60 animais com sinais clínicos compatíveis com complicações das infecções umbilicais (pneumonia, artrite, sepse), 58% (35/60) evoluíram para óbito. Grande variedade de espécies de bactérias foram identificadas nos animais amostrados, em cultura pura e/ou em associação, ressaltando a complexidade etiológica das infecções umbilicais em cordeiros, com predomínio de enterobactérias, e a necessidade de adoção de ações de profilaxia/controle da doença nos criatórios.

Resumo (inglês)

The first months after birth are considered critical in the life of the sucking lamb, due to the high occurrence of mortality secondary to umbilical infections, commonly related to inadequate consumption of colostrum, deficiencies in postpartum umbilical antisepsis, and maintenance of newborn animals in environments with dirt, feces, and moisture. Despite the losses in sheep farming, a lack of studies has focused on the causal agents of umbilical infections in lambs, and descriptions have been restricted to the report of cases and diagnosis at the species level of the pathogens based on conventional phenotypic tests. Considering this scenario, the present study investigated the bacterial and fungi etiology of umbilical infections in suckling lambs diagnosed by mass spectrometry, the clinical scores of umbilical severity of infections (score 1 or mild, score 2 or moderate and score 3 or severe), and multidrug resistance of isolates. Were aseptically collected 128 and 41 umbilical samples from diseased and apparently healthy lambs, respectively. All samples were subjected to microbiological culture, antimicrobial susceptibility pattern, and identification of agents based on mass spectrometry. Two hundred and fourteen bacteria and yeast species were identified among diseased lambs and 116 bacterial species from apparently healthy animals. Enterobacteria group (87/214=41%), particularly Escherichia coli (24/214=11%) showed significant association (p<0,05) in lambs with scores 2 and 3 at clinical severity. Among healthy umbilical samples, a set of bacteria was identified, particularly Desemzia incerta (14/116=12%). In animals with umbilical infection, gentamicin was the most effective antimicrobial (106/131=81%) in gram-negative bacteria, whereas the isolates revealed resistance mainly against ampicillin wasn’t effective (66/87=75%). Among the gram-positive micro-organisms, amoxicillin/ clavulanic acid was effective (20/26=77%). Multidrug resistance was observed among 20% (36/182) of lambs with umbilical infections. Among 60 animals showing clinical signs compatible with complications secondary to umbilical infections (pneumonia, arthritis, sepsis) 58% (35/60) died. A variety of bacteria were identified among animals sampled, either in pure culture or in coinfections/cooccurrence, highlighting the nature of umbilical infections in lambs, with a predominance of Enterobacteria group, and the need to adopt measures to control/prevent the disease in farms.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados