Fatores de risco associados à mortalidade de recém-nascidos de muito baixo peso na cidade de Botucatu, São Paulo, no período 1995-2000

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2008-03-01

Autores

Prigenzi, Maria Laura H. [UNESP]
Trindade, Cleide E.P. [UNESP]
Rugolo, Ligia Maria Suppo de Souza [UNESP]
Silveira, Liciana V.A. [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira

Resumo

OBJETIVOS: avaliar as práticas assistenciais, a ocorrência de doenças, a mortalidade durante a hospitalização e os fatores associados em recém-nascidos prematuros de muito baixo peso (PT-MBP). MÉTODOS: estudo transversal comparando dois períodos: 1995-1997 e 1998-2000 e envolvendo todos os PT-MBP nascidos vivos (n= 451), em um centro perinatal, em Botucatu, São Paulo, Brasil. Os fatores de risco pré-natal e pós-natal foram submetidos a análise multivariada. RESULTADOS: a mortalidade diminuiu de 36,2% para 29,5%. A sobrevida melhorou e foi superior a 50% a partir de 28 semanas e de 750 g de peso. O uso de corticosteróide antenatal aumentou de 25% para 42%, o surfactante exógeno de 14% para 28%, com redução na incidência e gravidade da síndrome do desconforto respiratório. A regressão logística mostrou que a síndrome do desconforto respiratório grave, Odds ratio=18, e a sepse precoce, Odds ratio=2,8, foram importantes fatores de risco para morte em 1995-1997. No período de 1998-2000, a sepse precoce e tardia, Odds ratio=10,5 e 12, respectivamente, aumentaram o risco de morte. CONCLUSÕES: a melhora na assistência perinatal diminuiu a mortalidade do PT-MBP. O aumento na exposição antenatal ao corticosteróide diminuiu a gravidade da síndrome do desconforto respiratório. em 1998-2000, a sepse foi o único fator de risco para morte.
OBJECTIVES: to evaluate perinatal care, the incidence of diseases, and mortality during hospitalization and associated risk factors in very low birth-weight infants (VLBW). METHODS: a cross sectional survey comparing two periods: 1995-1997 and 1998-2000, including all live-born VLBW preterm infants (n= 451), delivered at a level III perinatal center in the city of Botucatu, State of São Paulo, Brazil. The antenatal and postnatal risk factors were analyzed using multivariable techniques. RESULTS: mortality decreased from 36.2% to 29.5%. The survival of infants 750 g, and 28 weeks' gestation improved and was higher than 50%. The use of antenatal corticosteroid increased from 25% to 42%, surfactant therapy from 14% to 28%, and the incidence and severity of respiratory distress syndrome decreased. Regression analysis showed that severe respiratory distress syndrome (Odds ratio= 18) and early-onset sepsis (Odds ratio=2.8) were important risk factors for death in 1995-1997. During 1998-2000 early- and late-onset sepsis (Odds ratio=10.5 and 12 respectively) increased the risk of death. CONCLUSIONS: the improvement in perinatal care has reduced the mortality of VLBW infants. The increase in antenatal corticosteroid exposure has reduced the severity of respiratory distress syndrome. In 1998-2000, sepsis was the only risk factor associated with death.

Descrição

Palavras-chave

Recém-nascido de muito baixo peso, Mortalidade, Assistência perinatal, Infant, very low birth weight, Mortality, Perinatal care

Como citar

Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil . Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira, v. 8, n. 1, p. 93-101, 2008.