Densidade básica da madeira de árvores em florestas em restauração: efeito nas estimativas de biomassa e carbono

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-02-10

Autores

Leite, João Paulo Rodrigues

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A densidade básica da madeira (DB) é uma variável preditora importante em protocolos de estimativa de biomassa e carbono de ecossistemas florestais e muda consideravelmente com a idade das árvores e em diferentes condições ambientais. Entretanto, dados de DB regionais, e referentes a árvores jovens, que é o caso das florestas em restauração, ainda são escassos, afetando a precisão das estimativas. Comparamos os valores de DB de indivíduos de florestas em restauração com 25 anos com os valores obtidos de bases de dados das mesmas espécies. Além disso, avaliamos o erro contido nas estimativas de biomassa, quando se utiliza valores de DB das bases de dados (literatura) em comparação aos dados locais. Para obtermos os dados de DB, amostramos dois sítios onde foram implantados experimentos de restauração da floresta estacional semidecidual, entre 1997-1998, com cerca de 3,75 ha de área em cada um. Avaliamos 3-6 indivíduos com DAP≥10cm de 32 espécies. Ao todo, coletamos amostras de 178 indivíduos com método não destrutivo (sonda de Pressler). Os valores da literatura foram obtidos através da base “Dryad”, Coleção de Espécies Arbóreas Brasileiras (CARVALHO, 2003, 2006, 2008, 2010, 2014,) e SANTOS et al., (2020). Calculamos as biomassas através das equações de Chave et al. (2014) e Nogueira Jr. et al. 2014. Encontramos diferença significativa tanto entre a média geral dos valores de densidade (literatura x amostrada) como entre os valores de 6 das 31 espécies analisadas. Quanto à biomassa, também houve diferença entre a média geral dos valores estimados a partir dos valores de DB retirados da literatura, em comparação ao uso de dados reais de campo. Observamos que as diferenças causadas pela origem da DB nas estimativas de biomassa por espécie, foram significativas para 11 das 31 das espécies analisadas, nas quais houve tanto casos de subestimava como superestimativa da biomassa com dados da literatura. Portanto, dependendo da composição e abundância de espécies da floresta, os erros nas estimativas gerais de biomassa podem ser ainda mais evidentes, ficando nítida a importância de obtenção de dados de DB locais para minimizar erros de estimativa.

Descrição

Palavras-chave

Atributos funcionais, Restauração ecológica, Mata atlântica, Sequestro de carbono, Floresta estacional semidecidual

Como citar