Papel da microbiota nas alterações induzidas pela dexametasona no cólon de ratos wistar

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-01-25

Autores

Inácio, Laís Ferreira

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A dexametasona (DEX) é amplamente utilizada na clínica devido sua potente ação como antiinflamatório, antialérgico e imunossupressor, entretanto, seu uso crônico está correlacionado com efeitos deletérios, bem como a perda da diversidade de espécies na microbiota intestinal, gerando uma disbiose intestinal. O uso de probióticos pode equilibrar esse ambiente, por meio da seleção de microrganismos benéficos para o hospedeiro. Portanto, o objetivo do trabalho foi analisar os efeitos diretos da DEX na estrutura do cólon ascendente e na produção de muco, além de possíveis relações com o uso prévio da suplementação com probiótico. Durante 74 dias foram utilizados quatro grupos, com sete ratos cada (200-205g), sendo eles: controle (C) receberam água por gavagem e salina subcutânea; probiótico (P) suplementados com leite fermentado Yakult ®, via gavagem; dexametasona (D) tratados com DEX (50 μg/kg de PC, s.c.) nos últimos 14 dias; probiótico + Dex (PD) suplementados com probiótico e tratados com DEX nos últimos 14 dias. Ao final do protocolo, os animais foram eutanasiados e os tecidos foram retirados para as técnicas histológicas de Hematoxilina-Eosina e Ácido periódico de Shiff (PAS). Foi utilizado para as análises estatísticas a análise de variância (ANOVA) de dois caminhos, com post-hoc de Tukey (p<0,05). Os animais tratados apresentaram redução da massa das adrenais (C: 0,049 ± 0,003; Prob: 0,057 ± 0,002; DEX: 0,027 ± 0,003; ProbDEX: 0,027 ± 0,002), comprovando a efetividade do tratamento. Como esperado, o tratamento reduziu o peso corporal dos animais, entretanto, a suplementação com probiótico não foi capaz de atenuar esta resposta. Quanto as análises morfológicas do cólon, nenhuma alteração significativa foi observada no tamanho do epitélio das criptas. Da mesma forma, os resultados da capacidade de produção de muco não foram alterados pelo tratamento com a DEX nem com a suplementação prévia com o probiótico. Logo, os resultados do trabalho apontam que neste protocolo não houve dano morfológico e nem na capacidade de produção de muco pelo uso crônico de DEX.
Dexamethasone (DEX) is widely used in the clinic due to its potent action as an antiinflammatory, antiallergic and immunosuppressant, however, its chronic use is correlated with deleterious effects, as well as the loss ofspecies diversity in the intestinal microbiota, generating intestinal dysbiosis . The use of probiotics can balance this environment by selecting beneficial microorganisms for the host. Therefore, the aim of this study was to analyze the direct effects of DEX on the structure of the ascending colon and mucus production, in addition to possible relationships with the previous use of probiotic supplementation. During 74 days, four groups were used, with seven rats each (200-205g), as follows: control (C) received water by gavage and subcutaneoussaline; probiotic (P) supplemented with fermented Yakult ® milk, via gavage; dexamethasone (D) treated with DEX (50 μg/kg BW, s.c.) in the last 14 days; probiotic + Dex (PD) supplemented with probiotic and treated with DEX in the last 14 days. At the end of the protocol, the animals were euthanized and the tissues were removed for histological techniques of Hematoxylin-Eosin and Periodic Shiff Acid (PAS). Two-way analysis of variance (ANOVA) with Tukey's post-hoc (p<0.05) was used for statistical analyses. Treated animals showed a reduction in adrenal mass (C: 0.049 ± 0.003; Prob: 0.057 ± 0.002; DEX: 0.027 ± 0.003; ProbDEX: 0.027 ± 0.002), proving the effectiveness of the treatment. As expected, the treatment reduced the body weight of the animals, however, probiotic supplementation was not able to attenuate this response. As for the morphological analyzes of the colon, no significant changes were observed in the size of the crypt epithelium. Likewise, the results of mucus production capacity were not altered by treatment with DEX or with previous supplementation with the probiotic. Therefore, the results of the work indicate that in this protocol there was no morphological damage nor in the mucus production capacity by the chronic use of DEX.

Descrição

Palavras-chave

Glicocorticoide, Bactérias microbianas, Cólon, Probiótico, Bactérias microbianas, Glucocorticoid, Microbial bacteria, Probiotic

Como citar