Parâmetros epidemiológicos, espaciais e qualitativos do perfil da Hanseníase em munícipio endêmico do Alto Pantanal - MT

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2020-10-26

Autores

Oliveira, Nathan Guilherme

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A Hanseníase é um problema de saúde pública no Brasil, em especial no estado de Mato Grosso onde são diagnosticados grande parte do número de casos novos do país. Nesse cenário, surgem os estudos epidemiológicos que buscam compreender de forma quantitativa os fatores que predispõem a manutenção da transmissão nessas localidades, assim como os estudos qualitativos que contribuem para o entendimento das percepções dos usuários e prestadores de serviço de saúde sobre a doença. Assim, realizamos um estudo de coorte retrospectiva e análises espaciais dos casos notificados com hanseníase no período de 2008 a 2018 e uma análise de conhecimento sobre a hanseníase juntos aos profissionais de saúde, os casos notificados, contatos intrafamiliares e membros da comunidade, com a finalidade de analisar as fragilidades operacionais e de educação em saúde na hanseníase nos serviços públicos de saúde do município de Cáceres/MT. Neste estudo, foi observado uma maior proporção de homens, um predomínio de pacientes da cor preta e com idade economicamente ativa. Um importante aumento de casos com incapacidades físicas no momento do diagnóstico e no final do tratamento também foi verificado, com forte associação com idade e classificação operacional MB. Esse dado é fundamentado pela detecção passiva de casos da doença no município e pela centralização dos serviços no Centro Referencial de Saúde verificado pelas nas análises geoespaciais. Na análise de conhecimento, foi observado que as percepções sobre hanseníase no município não se diferem entre grupos de indivíduos entrevistados e sob certos aspectos, até mesmo entre profissionais de saúde, conceitos antigos da doença são mantidos. Como exemplos destacamos: a necessidade de isolamento, transmissão pelo uso ou compartilhamento de objetos pessoais com os doentes, além da dificuldade em aceitar que existe cura para a hanseníase. Identificamos também casos de pacientes que afirmaram ocultar que tinham ou tiveram a doença por medo do preconceito e de todo estigma gerado em torno da mesma. Concluímos que o município de Cáceres/MT apresenta problemas na descentralização dos serviços de saúde, acarretando dificuldades na suspeição diagnóstica e na busca ativa de casos e por conseguintes dificuldades em promover ações educativas que eliminem o estigma e interrompa a cadeia de transmissão da hanseníase.
Leprosy is a public health problem in Brazil, especially in the state of Mato Grosso, where most of the new cases in the country are diagnosed. In this scenario, epidemiological studies are done to quantitatively understand the factors that predispose to the maintenance of transmission in these locations, as well as qualitative studies that contribute to the understanding of the perceptions of users and health care service about the disease. Thus, we carried out a retrospective cohort study and spatial analyzes of cases reported with leprosy in the period from 2008 to 2018 and an analysis of knowledge about leprosy with health professionals, the notified cases, household, and community members, with that of analysis as operational and health education weaknesses in leprosy in public health services in the municipality of Cáceres/MT. In this study, a larger proportion of men was observed, a predominance of black patients and economically active age. An important increase in cases of physical disabilities at the early of diagnosis and the end of treatment was also observed, with a strong association with age and MB operational classification. This data is based on the passive detection of cases of the disease in the municipality and the centralization of services in the Reference Health Center verified by the geospatial analyzes. In the knowledge analysis, it was observed that the perceptions about leprosy in the municipality do not differ between groups of individuals interviewed and under certain aspects, even among health professionals, old concepts of the disease are maintained. As examples, we highlight the need for isolation, transmission through the use or sharing of personal objects with patients, in addition to the difficulty in accepting that there is a cure for leprosy. We also identified cases of patients who claimed to hide the disease for fear of prejudice and all the stigma generated around it. We conclude that the municipality of Cáceres/MT presents problems in the decentralization of health services, causing difficulties in the diagnostic suspicion and in the active search for cases and for consequent difficulties in promoting educational actions that eliminate stigma and interrupt the leprosy transmission chain.

Descrição

Palavras-chave

Hanseníase, Epidemiologia, Georreferenciamento, Educação em saúde, Leprosy, Epidemiology, Georeferencing, Health education

Como citar