Transformação de hábitos e sustentabilidade: a evolução de interpretantes na (auto) construção da cidade

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2004-09-16

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A vida do homem inserido em seu meio ambiente, que (nesse trabalho) é a cidade faz sua atuação dependendo de sua consciência do mundo.As cidades são sistemas dinâmicos onde se pode constatar indícios de auto-organização. O paradigma da auto-organização nos sistemas dinâmicos é desenvolvido nas Ciências Cognitivas, com paralelos na física, biologia, sociologia. A auto-organização nos sistemas dinâmicos caracteriza-se como um processo criativo no qual a estrutura anterior é transformada. Os processos emergentes numa nova forma caracterizam a criação, assim como a formação de interpretantes peirceanos. A semiótica peirceana, fazendo parte de sua extensa arquitetura metafísica, trata da formação de interpretantes numa forma anterior e mais abrangente que a concepções dos processos de auto-organização e emergência A criatividade pode ser constatada na significação de um processo informacional que relaciona signos produzindo crenças. No contínuo da formação de hábitos visto através da semiótica, através da relação interpretante, signo e objeto constatamos um processo evolutivo e criativo que possibilita a mudança de crenças e conseqüente transformação de hábitos. Um entendimento possível da cidade é caracteriza-la enquanto um sistema dinâmico auto-organizado na qual ocorre a transformação da relação entre seus elementos, num processo sígnico criativo e evolutivo, onde existe a possibilidade de continuidade da vida.
Life of man integrated into his environment, which (in this work) is the town, makes his action to depend on his awareness of the world. Towns are dynamic systems where self-organization signs may be found out. In the dynamic systems self-organization paradigm is developed in the cognitive sciences, with parallels in physics, biology and sociology.In the dynamic systems self-organization is characterized as a creative process in which the previous structure is transformed. Emerging processes in a new shape characterize creation just as peircean interpretants constitution. Peircean semiotics, as part of his large metaphysical architecture deals with interpretants construction in a previous and more comprehensive way than concepts of self-organization and emergence processes. Creativity may be found out in the significance of an informational process which relates signs resulting in beliefs.In the continuum of habits shaping seen through semiotics, by means of interpretant, sign and object relationship, an evolutionary and creative process is found out, which may cause changes in beliefs and therefore in habits.A possible way to understand a town is to characterize it as a self-organized dynamic system in which change of relationship among its elements occurs, within a signic process that is creative and evolutionary, where possibility of continuity of life exists.

Descrição

Palavras-chave

Sistemas auto-organizadores, Clima organizacional, Semiotica, Sustentabilidade, Environment, Systems, Self-organization, Semeiotic, Sustainability

Como citar

MORAES, Sônia C.B. Transformação de hábitos e sustentabilidade: a evolução de interpretantes na (auto) construção da cidade. 2004. 154 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências, 2004.