Vitamina D e cálcio para o tratamento de ratas prenhes com diabete moderado

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2018-02-23

Autores

Klöppel, Eduardo

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Diabetes mellitus gestacional (DMG) aumenta o risco de complicações obstétricas, morbidade e mortalidade infantil. Os recém-nascidos podem apresentar macrossomia e, a longo prazo, alterações metabólicas. Além da insulina e de drogas hipoglicemiantes, os a terapia nutricional controlada também tem sido recomendada como tratamento para os portadores de diabete. Entretanto, o efeito da suplementação com vitaminas e minerais durante a gestação diabética não está bem descrito. Sendo assim, pretendemos analisar os efeitos da administração da vitamina D e de cálcio (Ca2+) de forma associada (mistura) e isolada durante a prenhez de ratas com diabete. Para isso, ratas recém-nascidas receberam a droga beta-citotóxica (streptozotocin) para indução do diabete no dia do nascimento. Na vida adulta, essas ratas foram acasaladas e tratadas com vitamina D e/ou Ca2+ duas vezes por dia desde a confirmação da prenhez (dia 0) até o 20° dia de prenhez. No 17° dia, as ratas prenhes foram submetidas ao teste oral de tolerância à glicose (TOTG) e, ao final da prenhez, foram anestesiadas e mortas para coleta de amostras de sangue e de fígado para avaliação do estado redox. Além disso, foi realizada a exposição dos cornos uterinos visando analisar o desempenho reprodutivo materno e o desenvolvimento embriofetal. As ratas diabéticas tratadas com a mistura apresentaram redução dos níveis glicêmicos nos tempos do TOTG, diminuição da concentração de espécies reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBARS) e aumento nas porcentagens de recém-nascidos classificados como adequados para a idade de prenhez (AIP). Após análise de cada componente, testados isoladamente, foi verificado que a vitamina D também diminuiu os níveis glicêmicos no TOTG e TBARS, melhorou o desempenho reprodutivo materno e aumentou a taxa de fetos AIP. Entretanto, após o tratamento com Ca2+, as ratas diabéticas não tiveram efeitos benéficos. A comparação entre o tratamento isolado com vitamina D e a mistura mostrou melhores resultados no controle glicêmico nas ratas diabéticas tratadas com a vitamina D isolada. Sendo assim, nossos resultados indicam um potencial efeito benéfico do uso da vitamina D em relação à hiperglicemia, estresse oxidativo e repercussões maternas e fetais, a fim de auxiliar o tratamento do diabete durante a gestação.
Background: Although vitamin D effects on glucose metabolism and metabolic control during pregnancy have been shown to be positive, the influence of vitamin D on diabetic pregnancies remains uninvestigated. Since vitamin D stimulates pancreatic β-cell calcium (Ca 2+ ) channels to promote insulin secretion, we tested whether it can improve the maternal diabetic metabolism and thus contribute to adequate fetal growth in rats. Methods and results: Sprague-Dawley rats injected with Streptozotocin for diabetes induction at birth, were later mated and treated with either vitamin D alone, or Ca 2+ alone or their combination during pregnancy. At term pregnancy, maternal blood samples were collected for metabolic profiling, oxidative stress measurement and fetal analysis. In the diabetic animals treated with vitamin D and Ca 2+ combined or with vitamin D alone glycemia was decreased during glucose tolerance test (GTT) and the area under the curve (AUC) was reduced. TBARS concentrations in these animals were also decreased. On the other hand, no changes were observed in those receiving Ca 2+ alone in these parameters. However, the treatment with Ca 2+ alone or combined with vitamin D led to renal calcification. Both vitamin D and Ca 2+ combined and vitamin D alone reduced embryo-fetal loss rates and increased the rate of fetuses classified as adequate for age of pregnancy. Conclusion: Our results suggest that, due to its action on insulin secretion, vitamin D improves glycemic control and, consequently, decreases the production of lipoperoxides. Thus, the use of vitamin D may contribute to improving reproductive repercussions and fetal growth.

Descrição

Palavras-chave

diabete, ratas, prenhez, vitamina D, cálcio, estresse oxidativo

Como citar