Comunicação, ciência e poder: circulação do saber farmacêutico produzido nas boticas dos colégios da Companhia de Jesus no Brasil (1640-1759)

Imagem de Miniatura

Data

2024-03-27

Orientador

Gobbi, Maria Cristina

Coorientador

Pós-graduação

Comunicação - FAAC 33004056081P4

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

A comunicação pode ser uma ferramenta útil para a análise histórica? Essa pesquisa tem por finalidade analisar a circulação de saber médico-farmacêutico produzido pelos missionários da Companhia de Jesus na Colônia do Brasil, na virada do século XVII para o XVIII, a partir de um ponto de vista comunicativo. Consoante às proposições do referencial metodológico da Hermenêutica de Profundidade (HP), nos ancoramos nas três etapas de desenvolvimento, inquirindo sobre as condições comunicativas que se faziam possíveis em um contexto de rearranjos políticos e reformas administrativas que punham em risco a continuidade da Ordem. Tratamos de delinear o contexto no qual estes homens se inseriam nas terras coloniais, tomando como ponto de partida a domínio do conhecimento ilustrado dos membros da Ordem, suas motivações para assumirem as práticas de cura quando em terras coloniais, apontando a situação colonial como um fator motivador, em partes, mas que ia ao encontro de sua própria missão para com os indígenas os colonos e até os escravizados.Desde muito cedo, os missionários da Companhia de Jesus se constituíram como importantes agentes sociais e políticos na Colônia, permitindo com que a presença da coroa fosse sentida. Com o tempo, estes homens assumiram para si os cuidados com a saúde dos habitantes da colônia, fator esse que permitiu a Ordem erguer um significativo arcabouço de conhecimento, cuja circulação restrita, entre seus membros, conferiram-lhes uma importância política na Corte portuguesa. Demonstramos as possibilidades e usos da comunicação como uma ferramenta de arregimentação de poder frente às situações vivenciadas pelos missionários, passando a ser analisada por sua dimensão política, dado os contornos mágico-religioso das doenças e os usos da cura do corpo e seu monopólio pelos missionários adquirem. Por fim, buscamos evidenciar o papel da Comunicação e da circulação do conhecimento missionário, no procedimento de disputas pela configuração do poder no mundo colonial.Partindo da intersecção de dois campos do conhecimento, a nossa proposta é, portanto, apontar como a Comunicação pode ser útil para a análise histórica, ao mesmo que esta permite novos vieses analíticos de outros campos. Como resultado deste trabalho, podemos inferir que as metodologias comunicativas, aplicadas a uma análise histórica são pertinentes, no sentido de ampliar o escopo de observação, permitindo que novas categorias analíticas sejam dispostas no arcabouço teórico de ambos os campos.

Resumo (inglês)

Can communication be a useful tool for historical analysis? This research aims to analyze the circulation of medical-pharmaceutical knowledge produced by missionaries of the Society of Jesus in the Colony of Brazil, at the turn of the 17th to the 18th century, from a communicative point of view. In accordance with the propositions of the methodological framework of Depth Hermeneutics (HP), we anchored ourselves in the three stages of development, inquiring into the communicative conditions that were possible in a context of political rearrangements and administrative reforms that put the continuity of the Order at risk. In the first stage, of socio-historical contextualization, we try to outline the context in which these men were inserted in colonial lands, taking as a starting point the mastery of the enlightened knowledge of the members of the Order, their motivations for taking up healing practices when in colonial lands, pointing out the colonial situation as a motivating factor, in part, but which was in line with its own mission towards indigenous people, settlers and even the enslaved. From a very early age, the missionaries of the Society of Jesus constituted themselves as important social and political agents in the Colony, allowing the presence of the crown to be felt. Over time, these men took over the care of the health of the colony's inhabitants, a factor that allowed the Order to build a significant framework of knowledge, whose restricted circulation among its members gave them political importance in the Portuguese Court. In the second stage, called formal analysis, we demonstrate the possibilities and uses of communication as a tool for regimenting power in the face of situations experienced by missionaries. Communication, then, begins to be analyzed by its political dimension, given the magical-religious contours of illnesses and the uses of body healing and their monopoly by missionaries. Finally, in the last stage, of reinterpretation, we highlight the role of Communication and the circulation of missionary knowledge, in the procedure of disputes over the configuration of power in the colonial world. Starting from the intersection of two fields of knowledge, our proposal is, therefore, to point out how Communication can be useful for historical analysis, at the same time that it allows new analytical biases from other fields. As a result of this work, we can infer that communicative methodologies, applied to a historical analysis, are pertinent, in the sense of expanding the scope of observation, allowing new analytical categories to be arranged in the theoretical framework of both fields.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Silva, J. P. C. Comunicação, ciência e poder: circulação do saber farmacêutico produzido nas boticas dos colégios da Companhia de Jesus no Brasil (1640-1759). Orientador: Maria Cristina Gobbi. 2024. 119 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Faculdade de Arquitetura, Artes, Comunicação e Design, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Bauru, 2024.

Itens relacionados