Incidência de ralstonia em amostras enviadas para análise na clínica de patologia florestal

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2015-09-15

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Trabalho apresentado em evento

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

Brazil is one of the world eucalyptus producers. With o increased planting of this crop in the country many diseases that were not previously reported has been causing problems. Among the phytopathogenic microorganisms which has caused losses in this segment are bacteria. One of the bacteria that has gained repercussion on the problems caused is Ralstonia solanacearum. This bacterium develops in plant pots causing wilt and dry. Faced with this problem the study aimed to survey the incidence R. solanacearum in samples received in Forest Pathology Clinic of UNESP / Botucatu. Samples of plants, water and soil were analyzed. The bacteria were isolated in the middle of Kelman culture, collected after their development and their DNA was extracted for detection by amplification via specific oligonucleotide. The analyzes were detected 20.64, 6.25 and 14.31% incidence of the disease in the samples received from plants, water and soil, respectively. Since there are no chemicals to control this bacterium and before the results it is clear there is a need of taking some control measures such as use of healthy seedlings and sanitizing the work environment.

Resumo (português)

O Brasil é um dos maiores produtores de eucalipto mundo. Com o aumento do plantio desta cultura no país muitas doenças que antes não eram relatadas vem causando problemas. Entre os microrganismos fitopatogênicos que vem causando prejuízos neste segmento encontram-se as bactérias. Umas das bactérias que vem ganhando repercussão diante dos problemas causados é Ralstonia solanacearum. Esta bactéria se desenvolve nos vasos da planta causando murcha e seca. Diante deste problema o trabalho teve como objetivo realizar o levantamento da incidência R. solanacearum em amostras recebidas na Clínica de Patologia Florestal da UNESP/Campus Botucatu. Foram analisadas amostras de plantas, água e solo. As bactérias foram isoladas em meio de cultura Kelman, coletadas após seu desenvolvimento e seu DNA foi extraído para detecção através de amplificação via oligonucleotídeo específico. Nas análises realizadas foram detectadas 20,64, 6,25 e 14,31% de incidência da doença nas amostras recebidas de plantas, água e solo, respectivamente. Como não há produtos químicos para o controle desta bactéria e diante dos resultados obtidos fica claro que existe a necessidade de tomada de algumas medidas de controle como uso de mudas sadias e higienização do ambiente de trabalho.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

8º Congresso de extensão universitária da UNESP, p. 1-4, 2015.

Itens relacionados

Financiadores