Analysis of permeability and biological properties of dentin treated with experimental bioactive glasses

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2021-01-13
Autores
Reis, Bruna de Oliveira [UNESP]
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Universidade Estadual Paulista (Unesp)
Resumo
O objetivo deste estudo foi avaliar a capacidade obliteradora de diferentes agentes dessensibilizantes em dentina humana através da mensuração da permeabilidade dentinária, e suas performances biológicas através da análise de citotoxicidade em fibroblastos gengivais humanos. Cinquenta molares humanos foram utilizados, dos quais foram obtidos blocos de dentina (4x4x1mm) posteriormente distribuídos em grupos de acordo com o dessensibilizante a ser utilizado (n=10): Grupo 1 - Controle (Saliva artificial. Sem aplicação de agente dessensibilizante); Grupo 2 - Ultra EZ (Ultradent); Grupo 3 - Desensibilize Nano P (FGM); Grupo 4 - Vidro Bioativo T5-OH (solução experimental); Grupo 5 - Vidro Bioativo F18 (solução experimental). Os tratamentos dessensibilizantes foram realizados durante 15 dias. Além disso, os espécimes foram submetidos ao desafio com ácido cítrico para simular condições desmineralizantes do ambiente oral. As amostras foram submetidas à análise de permeabilidade antes e após os procedimentos dessensibilizantes e o desafio ácido. Análise de citotoxicidade foi realizada pelo ensaio Alamar Blue complementado pela quantificação de proteína pelo Método BCA (ácido bicinconínico) (N=3; n=3) nos tempos de avaliação de 15 minutos, 24 horas e 48 horas. Microscopia eletrônica de varredura (MEV) e Espectroscopia de Raio-X por Energia Dispersiva (EDS) foram realizadas para análise qualitativa da dentina tratada. Dados de permeabilidade dentinária foram analisados por ANOVA dois fatores medidas repetidas e Teste de Tukey (α=0,05). Para a citotoxicidade, foram utilizados os testes Kruskal-Wallis e Newman-Keuls (α=0,05). Os resultados mostraram que para a permeabilidade dentinária não houve diferença significante entre os agentes dessensibilizantes após os tratamentos (p>0,05), porém o grupo controle apresentou os maiores valores (0,131 ± 0,076 Lp, p<0,05). Após o desafio ácido, o grupo controle manteve os maiores valores (0,044 ± 0,014 Lp) com diferença significante para os demais grupos (p<0,05), exceto para o Desensibilize Nano P (0,037 ± 0,019 Lp). Quanto à citotoxicidade, não houve diferença entre os grupos experimentais (p>0,05). Assim, foi possível concluir que o uso de dessensibilizantes à base de biovidros causou efeito similar ao uso de produtos disponíveis comercialmente, em relação à permeabilidade e propriedades biológicas da dentina.
The aim of this study was to evaluate the obliterating capability of different desensitizing agents on human dentin by measuring dentin permeability, and their biological performance by the analysis of cytotoxicity in human gingival fibroblasts. Fifty human molars were used, from which dentin blocks were obtained (4x4x1mm) and distributed in groups according to the desensitizing agent used (n=10): Group 1 - Control (Artificial saliva. No desensitizing agent applied); Group 2 – Ultra EZ (Ultradent); Group 3 – Desensibilize Nano P (FGM); Group 4 - T5-OH Bioactive Glass (Experimental solution); Group 5 - F18 Bioactive Glass (Experimental solution). The desensitizing treatments were performed for 15 days. In addition, the specimens were subjected to challenge with citric acid to simulate oral environment demineralizing conditions. Samples were subjected to permeability analysis before and after the desensitizing procedures and the acid challenge. Cytotoxicity analysis was performed by using Alamar Blue assay and complemented by total protein quantification by Pierce Bicinchoninic Acid (BCA) assay (N=3; n=3) at 15 minutes, 24-hour and 48-hour time points. Scanning electron microscopy (SEM) and energy dispersion X-ray spectroscopy (EDS) were performed for qualitative analysis of treated dentin. Data of dentin permeability was analyzed by two-way repeated measures ANOVA and Tukey's post-hoc test (α=0.05). For cytotoxicity, Kruskal-Wallis and Newman-Keuls tests were used (α=0.05). The results showed that for dentin permeability there was no significant difference among the desensitizing agents after treatment (p>0.05), but the control group presented the highest values (0.131 ± 0.076 Lp, p<0.05). And after acid challenge, the control group maintained the highest values (0.044 ± 0.014 Lp) with significant difference to the other groups (p<0.05), except for Desensibilize Nano P (0.037 ± 0.019 Lp). For cytotoxicity, there were no significant differences among the experimental groups (p>0.05). It was concluded that the use of bioglass-based desensitizers caused similar effects to commercially available products, regarding permeability and dentin biological properties.
Descrição
Palavras-chave
Sensibilidade da Dentina, Dessensibilizantes Dentinários, Permeabilidade da Dentina, Biologia Celular, Dentin sensitivity
Como citar