O saber/fazer/ser e conviver dos educadores indígenas Apinayé: algumas reflexões no campo da Teoria da Complexidade e da Etnomatemática

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2013-05-14

Orientador

Lins, Romulo Campos

Coorientador

Pós-graduação

Educação Matemática - IGCE

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

Nesta pesquisa procuro estabelecer um diálogo entre a Etnomatemática a Teoria da Complexidade e a Educação Indígena Apinayé, com vista a responder o questionamento orientador desse debate, o qual foi expresso em termos de “como sistematizar uma epistemologia da prática dos educadores indígenas Apinayé, englobando conhecimentos socioculturais relacionados ao saber/fazer/ser e conviver desses educadores? Tendo como suporte metodológico uma prática de natureza etnográfica, estabeleço uma possibilidade de compreender os educadores indígenas apinayé como epistemólogos de suas tradições socioculturais, à medida que apresento marcas de uma epistemologia que se nutre de saberes e fazeres, bem como da forma de ser e conviver que lhes é singular. Dessa forma, interpreto a episteme dos educadores indígenas apinayé por meio de um anel epistemológico, cuja tessitura comporta saber/fazer/ser/conviver munida dos princípios dialógico, recursivo e hologramático, que, entre outras coisas, lhes permite expressar uma cartografia do e no universo

Resumo (inglês)

This research intends to establish a dialogue between Ethnomathematics, Complexity Theory, and indigenous Apinayé Education, with the purpose of finding answers to the main question of this debate expressed as follows: “how we should systematize an epistemology of the practice of indigenous Apinayé educators, comprising socio-cultural knowledge related to knowing/doing/being skills of these professionals? Based on an ethnographic approach, I establish the possibility of understanding the indigenous Apinayé educators as epistemologists of their sociocultural traditions, as I present the marks from an epistemology that feeds on knowledge and practices, as well as on their unique way of being and living. Thus, I interpret the epistemology of indigenous Apinayé educators by means of an epistemological ring whose composition comprises knowing/doing/being/living skills with the dialogical, recursion and hologramatic principles, which, among other things, allows them to express a cartography of and in the universe

Descrição

Idioma

Português

Como citar

OLIVEIRA, Sinval de. O saber/fazer/ser e conviver dos educadores indígenas Apinayé: algumas reflexões no campo da Teoria da Complexidade e da Etnomatemática. 2013. 156 f. Tese - (doutorado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Instituto de Geociências e Ciências Exatas de Rio Claro, 2013.

Itens relacionados

Financiadores