Estudo comparativo de imunomarcações (OC, VEGF, TRAP) em humanos, nas cirurgia de levantamento do assoalho de seio maxilar utilizando osso autógeno e heterógeno

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2015-08-18

Autores

Griza, Geraldo Luiz [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

The objective of this study was to evaluate, through histological and immunohistochemistry analysis, the neoformation and bone remodeling after surgery of maxillary sinus lift, through immunostaining of the osteocalcin, VEGF and TRAP proteins. Were selected 25 patients who underwent surgery for maxillary sinus lift, through the open technique, and these were divided into 3 groups: A -particulate autogenous bone; AB - autogenous and heterogeneous bone (Bio-oss®) and B - only heterogeneous bone (Bio-oss®). After six months of this intervention, the patients were submitted to surgery for installation of implants and concomitant removal of grafted bone sample from the surgical site. The histological evaluation showed bone neoformation in three groups, with presence of trabeculae of mature bone. In groups B and BA, it was observed the presence of granules of the biomaterial with surrounding bone tissue. A statistical analysis showed significant difference (ANOVA p=0,002), suggesting a greater bone neoformation in group of autogenous bone. In immunohistochemical evaluation no statistically significant differences were observed in the comparison between the experimental groups (A, B and AB), as well as the proteins analyzed (OC: p= 0.657; VEGF: p= 0,133; TRAP: p= 0.163). It is concluded that the use of Bio-Oss ®, associated or not to autogenous bone, for maxillary sinus lift through the side window technique results in bone repair. A predictable bone formation is possible when using this material as osteoconductive
O objetivo deste estudo foi avaliar, através de análise histológica e imunoistoquímica, a neoformação e a remodelação óssea após a realização de cirurgias de elevação de seio maxilar, através de imunomarcação das proteínas osteocalcina, VEGF e TRAP. Foram selecionados 25 pacientes que foram submetidos a cirurgia para elevação do seio maxilar, através da técnica aberta sendo divididos em 3 grupos: A. Osso autógeno particulado; AB. Osso autógeno e heterógeno (Bio-oss®) e B. Apenas osso heterógeno (Bio-oss®). Passados seis meses desta intervenção, os pacientes foram submetidos a cirurgia para instalação dos implantes, concomitante a remoção de amostra do osso enxertado nesse local, previamente. Na avaliação histológica foi observada neoformação óssea nos três grupos, com presença de trabéculas de osso maduro. Nos grupos B e AB, foi observada a presença de grânulos do biomaterial com tecido ósseo circundante. A análise estatística apontou diferença significante (ANOVA p=0.002), sugerindo uma maior neoformação óssea no grupo de osso autógeno. Na avaliação imunoistoquímica não foram observadas diferenças estatisticamente significativas na comparação entre os grupos experimentais (A, B e AB), bem como as proteínas analisadas (OC: p=0,657; VEGF: p=0,133; TRAP: p=0,163). Conclui-se que a utilização de Bio-Oss®, associado ou não ao osso autógeno, para levantamento de seio maxilar através da técnica da janela lateral resulta em reparo ósseo. Uma previsível formação óssea é possível quando se utiliza esse material como osteocondutor

Descrição

Palavras-chave

Seios maxilares, Transplante ósseo, Substitutos ósseos, Maxillary sinus

Como citar

GRIZA, Geraldo Luiz. Estudo comparativo de imunomarcações (OC, VEGF, TRAP) em humanos, nas cirurgia de levantamento do assoalho de seio maxilar utilizando osso autógeno e heterógeno. 2015. 68 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Odontologia de Araçatuba, 2015.