Desenvolvimento e caracterização físico-química e biofarmacêutica de nano e microemulsões lipídicas de uso intravenoso contendo metildiidrojasmonato

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2013-10-10

Orientador

Oliveira, Anselmo Gomes de

Coorientador

Pós-graduação

Nanotecnologia Farmacêutica - FCF

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

The jasmonates are a new family of anti-cancer agents, natural and semi-synthetic, with proven efficacy against several tumor growth. These compounds exhibit a selective cytotoxic for tumor cells. Colloidal nanocarriers as micro (ME) and nanoemulsions (NE), provide drug release at the desired site of action while minimizing the side effects that often follow the use of conventional drugs. The methyl dihydro jasmonate (MJ) was added in order to obtain nanostructured systems with antineoplastic activity. Three phase diagrams were developed, one of them without drug, the second with drug and the third with MJ replacing the oil phase. Based on the phase diagrams 32 formulations were selected by varying the percentage of the oily phase (soya oil), of the surfactants (fatty acids salts, soya phosphatidylcholine and glycerol) and of the MJ. The formulations were analyzed by their physico-chemical characterization. With the technique of light scattering it was observed that the diameter of the droplets increased with the incorporation of the drug and with the increase of the MJ percentage. By increasing the surfactants percentage, the droplet diameter decreased in formulations without MJ and increased in formulations with the drug. With the oil phase increase the droplet diameter was reduced in formulations with and without MJ. The rheology evaluation syudied revealed that the flow behavior of the formulations ranged as newtonian, pseudoplastic, thixotropic, anti-thixotropic and reopetic. Based on the polarized light microscopy it was observed that the formulations, with and without MJ showed dark field with rare presence of Maltese cross. In the formulations where MJ was used as the oil phase, the presence of microscopic oil droplets was observed. The majority of the formulations exhibit characteristics of crystalline structures by X-ray diffraction. The SAXS curves show that, in the formulations without MJ, structural organization occurred when the oil phase was increased, the percentage of surfactants and the percentage of drug increased. A disruption has occurred when MJ was incorporated in the formulations. The zeta potential decreased in module when MJ was incorporated in the formulations and when the percentage of the drug increased. However, the zeta potential increased in module, in the formulations having MJ as the oil phase, as the percentage of oil phase and surfactant increased. In the in vitro release assay the ME and NE systems behaved as reservoirs delaying the release of MJ. Through the analysis of antitumor activity in vivo it can be observed that the percentage inhibition of tumor volume of MJ micellar solution exceeded the positive control, doxorubicin. As the concentration of MJ-ME increasing the percentage of tumor inhibition remained almost constant. The angiogenesis degree was lower for doxorubicin and micellar solution compared to the saline and the formulation without MJ. However, the groups treated with MJ-ME revealed a high degree of angiogenesis. The average weight of the tumors was higher in the groups treated with saline and with the formulation without MJ and lower for those treated with doxorubicin and MJ micellar solution. As for the groups treated with MJME there was reduction of the weight tumors as the MJ concentration increased on the ME. It was possible to obtain sustained release systems, micro and nanoemulsions, able to carry and direct the MJ in order to reach tumor cells allowing intravenous administration.

Resumo (português)

Os jasmonatos compõem uma nova família de agentes anti-câncer, naturais ou semisintéticos, com comprovada eficácia contra diferentes tipos de tumores em crescimento. Esses compostos exibem seletividade citotóxica em células transformadas. Nanocarreadores coloidais como micro e nanoemulsões, podem proporcionar a liberação do fármaco no sítio de ação desejado minimizando os efeitos colaterais que normalmente acompanham os medicamentos convencionais. Neste trabalho foram desenvolvidas formulações de micro (ME) e nanoemulsões (NE) contendo o fármaco metildiidrojasmonato (MJ) com o objetivo de obter sistemas nanoestruturados com atividade antineoplásica. Foram desenvolvidos três diagramas de fases, o primeiro sem MJ, o segundo contendo MJ e o terceiro com MJ como fase oleosa. Com base nos diagramas 32 formulações foram selecionadas, variando-se a proporção de fase oleosa (óleo de soja), de tensoativo (sais de ácidos graxos, fosfatidilcolina de soja e glicerol) e de MJ. As formulações foram caracterizadas físico-quimicamente e com a técnica de light scattering foi observado que o diâmetro das gotículas aumentou com a incorporação do fármaco e com o aumento da proporção do MJ. Com o aumento da proporção de tensoativo o diâmetro diminuiu nas formulações na ausência do fármaco e aumentou nas formulações com o fármaco incorporado. Com o aumento de fase oleosa o diâmetro foi reduzindo nas formulações na ausência e presença de fármaco. Com as análises de reologia foi possível observar que o comportamento de fluxo destas formulações variou entre newtoniano, pseudoplástico, tixotrópico, anti-tixotrópico e reopético. Com base na microscopia de luz polarizada foi possível observar que as formulações na ausência e presença do fármaco e aquelas com variação de MJ apresentaram campo escuro com rara presença de cruz de malta. Já as formulações em que MJ foi utilizado como fase oleosa ocorreu presença de gotas de óleo na microscopia de luz polarizada. A maioria das formulações apresentou características de estruturas cristalinas através da difração de raios-X. As curvas de SAXS demonstram que nas formulações na ausência de MJ ocorreu uma organização estrutural à medida que se aumentou a fase oleosa, proporção de tensoativo e proporção de fármaco. A incorporação de MJ promoveu uma desestruturação organizacional. O potencial zeta sofreu uma queda em módulo quando MJ foi incorporado nas formulações e quando a proporção deste fármaco foi aumentada. Mas o potencial zeta sofreu aumento em módulo nas formulações tendo MJ como fase oleosa, à medida que se aumentou proporção de fase oleosa e tensoativo. No ensaio de liberação in vitro as ME e NE comportaram-se como sistemas reservatórios retardando a liberação do MJ. Com a análise da atividade antitumoral in vivo foi observado que a porcentagem de inibição do volume tumoral da solução micelar de MJ (SM-MJ) superou a do controle positivo, com doxorrubicina. À medida que a concentração de MJ incorporado a microemulsão (MJ-ME) foi aumentando a porcentagem de inibição tumoral manteve-se praticamente constante. O grau de angiogênese foi mais baixo para a doxorrubicina e solução micelar de MJ quando comparado com salina e ME vazia. Já para os grupos tratados com MJ-ME os valores do grau de angiogênese mantiveram-se altos. A média da massa dos tumores foi maior para os grupos tratados com salina e ME vazia e menor para os tratados com doxorrubicina e solução micelar de MJ. Já os grupos tratados com MJ-ME obtiveram redução na massa à medida que a concentração de MJ-ME aumentou. Foi possível obter sistemas de liberação prolongada, micro e nanoemulsões, capazes de transportar e direcionar o MJ no organismo de modo a atingir as células tumorais permitindo administração intravenosa.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

SILVA, Gisela Bevilacqua Rolfsen Ferreira da. Desenvolvimento e caracterização físico-química e biofarmacêutica de nano e microemulsões lipídicas de uso intravenoso contendo metildiidrojasmonato. 2013. 165 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, 2013.

Itens relacionados