A temática socioambiental, mídias sociais e a sala de aula: diálogos e possibilidades

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-12-19

Orientador

Carvalho, Luiz Marcelo de

Coorientador

Silva, Fernanda Keila Marinho da

Pós-graduação

Educação - IB 33004137064P2

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

Nesta pesquisa, temos como objetivo compreender sentidos mobilizados em contextos de sala de aula, a partir de atividades de educação ambiental, explorando materiais audiovisuais disponíveis nas mídias digitais que têm sido acessados pelos alunos e que se referem a determinados aspectos da temática ambiental. As atividades humanas contemporâneas, relacionadas, principalmente, às grandes indústrias e ao sistema de produção social vêm causando alterações nos ambientes naturais, o que tem gerado consequências prejudiciais a todas as formas de vida. Os diversos problemas ambientais causados por essas atividades ficam mais evidentes a partir do século XX e passam a ser caracterizados, por alguns autores, como crise ambiental. Nesse contexto, a Educação Ambiental é tida como um caminho que pode mobilizar os diferentes setores sociais quanto à percepção da gravidade dessa crise e compreensão em relação às questões ambientais e incentivar uma postura crítica frente aos atuais modelos de relação sociedade – natureza. As mídias digitais, consideradas nesta pesquisa como recursos tecnológicos apropriados pelo fenômeno da “indústria cultural”, são meios de comunicação e informação bastante acessados pelos jovens atualmente. Nesse sentido, apresentam-se como uma possível ferramenta para se trabalhar a temática ambiental em sala de aula, por meio de uma linguagem próxima aos alunos. Tendo como orientação tais pressupostos esta pesquisa foi desenvolvida junto a alunos de ensino fundamental II e médio de uma escola particular, do interior do estado de São Paulo, tendo como orientações metodológicas a abordagem qualitativa e como referencial teórico metodológico para a condução dos trabalhos a abordagem histórico-cultural, respaldando nossa análise na teoria dialógica desenvolvida por M. Bakhtin. Para a produção dos dados da investigação foram desenvolvidas atividades didáticas que foram gravadas e transcritas para análise, buscando compreender possíveis sentidos construídos sobre os problemas ambientais nesse contexto. A partir das análises realizadas, identificamos “gêneros secundários do discurso”, “polêmicas claras e veladas”, apropriação das “palavras alheias”, “discursos autoritário e internamente persuasivo” permeando posicionamentos ideológicos nos diálogos que se estabeleceram em sala de aula e mobilizando a construção de sentidos dos alunos participantes da pesquisa. Acreditamos, considerando os dados produzidos por esta pesquisa, que práticas pedagógicas orientadas por uma perspectiva crítica de Educação Ambiental, que estimulem o diálogo e o envolvimento dos alunos em relação a esta temática, são fundamentais para a constituição de indivíduos mais ativos, responsivos socioambientalmente, e críticos em busca de uma participação política que gere mudanças em relação aos atuais modelos de relação sociedade – natureza.

Resumo (inglês)

In this research, our objective is to understand the meanings mobilized in classroom contexts through environmental education activities, exploring audiovisual materials available on digital media accessed by students and addressing specific aspects of environmental themes. Contemporary human activities, particularly those related to large industries and social production systems, have been causing alterations in natural environments, resulting in harmful consequences for all forms of life. The various environmental problems caused by these activities have become more evident since the twentieth century and are characterized by some authors as an environmental crisis. In this context, Environmental Education is seen as a pathway to mobilize different social sectors regarding the perception of the seriousness of this crisis and understanding of environmental issues, encouraging a critical stance towards current models of the society-nature relationship. Digital media, considered in this research as powerful tools of the "cultural industry," are widely accessed by young people today for communication and information. In this sense, they present themselves as a possible tool for addressing environmental issues in the classroom through a language familiar to students. Guided by these assumptions, this research was conducted with middle and high school students from a private school in the interior of São Paulo state, using qualitative methodology and the historical-cultural approach as the theoretical-methodological framework for conducting the work, supporting our analysis with the dialogical theory developed by M. Bakhtin. For the production of research data, didactic activities were developed, recorded, and transcribed for analysis, seeking to understand possible meanings constructed about environmental problems in this context. From the analyses performed, we identified "secondary genres of discourse," "clear and veiled controversies," appropriation of "others' words," and "authoritarian and internally persuasive discourses" permeating ideological positions in the dialogues established in the classroom and mobilizing the construction of meanings by the participating students. We believe, considering the data produced by this research, that pedagogical practices guided by a critical perspective of Environmental Education, stimulating dialogue and student involvement with this theme, are fundamental for the formation of more active, socio-environmentally responsive, and critical individuals in search of political participation that generates changes in relation to current models of the society-nature relationship.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados