Intervenção farmacêutica em pacientes portadores de HIV com falha na terapia antirretroviral

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-11-26

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O crescente número de pacientes portadores de HIV com falha na terapia antirretroviral (TARV) é preocupante do ponto de vista da saúde pública, necessitando da equipe multiprofissional cuidados específicos. Com o objetivo de avaliar o impacto de intervenções farmacêuticas (IF) em pacientes portadores de HIV com falha na TARV em um Serviço de Atendimento Especializado foi realizado um estudo com amostra de conveniência, longitudinal não controlado e intervencional, onde foi realizada uma IF educativa e de gestão da terapia medicamentosa individualizada, por período aproximado de um ano. Em 31 pacientes foram realizadas 253 intervenções, destas 161 foram educativas, 65 de gestão da terapia e cinco encaminhamentos para outros profissionais de saúde. Outras 11 intervenções com os médicos, sobre os potenciais riscos de interações medicamentosas e de prováveis eventos adversos. Após a intervenção, seis pacientes começaram a retirar regularmente os medicamentos na farmácia (p=0,0313), 12 melhoraram a adesão (p=0,0020), em 18 a TARV tornou-se efetiva (p=0,0020) e 15 melhoraram o seu estado imunológico (p=0,002). O aumento do conhecimento sobre a doença e a farmacoterapia (p=0,0133) melhorou a adesão, reduziu a carga viral e aumentou a contagem de CD4+. Houve diferença na qualidade de vida geral (SF36): capacidade funcional (p=0,0017), aspectos físicos (p=0,0247), dor (p=0,0271), vitalidade (p=0,0308), aspecto social (p=0,0185) e emocional (p=0,0300) e na qualidade de vida específica (HAT-QoL): preocupação financeira (p=0,0118), com a medicação (p=0,0298) e muito próximo da significância estatística, satisfação com a vida (p=0,0538) e o sigilo (0,0534). O estudo mostrou-se custo-efetivo para redução de internações hospitalares, com uma economia de R$ 19,43 por paciente por ano. O profissional de saúde deve se encarregar da gestão da farmacoterapia e a responsabilidade com o cuidado do paciente deve ser constante. A IF com pacientes portadores de HIV com falha na TARV, por período de um ano, infectados há mais de 10 anos e em TARV até quatro anos, proporcionou um maior conhecimento sobre a doença e o tratamento, melhorou a adesão, reduziu os problemas relacionados aos medicamentos e os resultados negativos da medicação, promoveu uma maior efetividade terapêutica, melhorou a qualidade de vida e reduziu as internações hospitalares
The growing numbers of HIV patients on antiretroviral therapy (ART) failure is worrying from the point of view of public health requiring specific cares of the multiprofessional team. With the objective of evaluate the impact of pharmaceutical interventions (FI) on patients with HIV with ART failure on a Specialized Care Service has conducted a study with a convenience sample, longitudinal uncontrolled and interventional, where an FI educative and of the management of the individualized drug therapy was performed for approximately one year. In 31 patients 253 interventions were performed, 161 of these were educative, 65 management of therapy and five referrals to other health professionals. Other 11 interventions with physicians about the potential risks of drug interactions and adverse events likely. Other 11 interventions with physicians about the potential risks of drug interactions and adverse events likely. After the intervention, six patients began to regularly withdraw the drugs from the pharmacy (p = 0.0313), 12 improved adherence (p = 0.0020), on 18 the ART became effective (p = 0.0020) and 15 improved their immune status (p = 0.002). The increase of knowledge about the disease and pharmacotherapy (p = 0.0133) improved adherence, reduced the viral load and increased CD4+ count. Were no difference in general quality of life (SF - 36): functional capacity (p = 0.0017), physical aspects (p = 0.0247), pain (p = 0.0271), vitality (p = 0.0308), social functioning (p = 0.0185) and emotional (p = 0.0300) and the specific quality of life (HAT - QoL): financial worry (p = 0.0118), with the medication (p = 0.0298) and very close to statistical significance, satisfaction with life (p = 0.0538) and the sigil (0.0534). The study showed cost-effective in reducing hospital admissions, with a savings of R$ 19.43 per patient per year. The healthcare provider should take charge of the management of pharmacotherapy and the responsibility for the care of the patient must be constant.The FI with HIV patients with ART failure, for a period of one year, infected for over 10 years and on up ART to four years, provided a greater knowledge about the disease and treatment, improved adherence, reduced problems related to drugs and the negative results of the medication, promoted a greater therapeutic effectiveness, improved quality of life and reduced hospitalizations

Descrição

Palavras-chave

Antirretrovirais, Adesão à Medicação, Qualidade de Vida, Farmacêuticos e pacientes, Pharmaceutical Intervention, Anti-Retroviral Agents, Medication Adherence, Quality of Life

Como citar