Longevidade da resistência de união e extensão de formação de tags de cimentos resinosos autoadesivos na dentina radicular

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-12-02

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Os cimentos resinosos autoadesivos surgiram como uma alternativa para a cimentação de pinos de fibra de vidro. Testes avaliando a resistência de união desses cimentos, demonstraram certa eficácia a curto prazo. No entanto, a estabilidade a longo prazo da ligação criada por esses cimentos permanece desconhecida. O objetivo do estudo foi avaliar a longevidade da resistência de união, em 24 horas e após 12 meses, a extensão de tags resinosos dos cimentos autoadesivos Maxcem Elite, RelyX U200, Set PP e Megalink, em comparação ao cimento resinoso convencional RelyX ARC, nos terços cervical, médio e apical. Os dentes foram seccionados transversalmente no comprimento de 17 mm. Os pinos de fibra de vidro foram cimentados com os quatro tipos de cimentos autoadesivos (N = 20, cada) e com cimento resinoso convencional (N = 20). Os espécimes de cada um dos protocolos de cimentação foram subdivididos em 2 subgrupos (N = 10, cada), de acordo com o período de avaliação. Após serem submetidos ao teste de push-out, os dados obtidos foram submetidos aos testes de ANOVA one way e Tukey, e sendo considerado nível de significância de 5%. A resistência de união diminuiu em todos os sistemas de cimentação, mas não há diferença entre os cimentos resinosos autoadesivos, após 12 meses. Entretanto, o sistema com cimento resinoso convencional e adesivo total-etching, de 3 passos (ARC), demonstrou maior resistência de união do que o sistemas de cimentação autoadesivos, independentemente do período de análise.
Self-adhesive resin cements have emerged as an alternative for luting fiberglass pins. Tests evaluating the bond strength of these cements have shown some efficacy in the short term. However, the long-term stability of the bond created by these cements remains unknown. The aim of this study was to evaluate the longevity of the bond strength, at 24 hours and after 12 months, and the resin tag extension of the selfetching cements Maxcem Elite, RelyX U200, Set PP and Megalink, compared to the conventional resin cement RelyX ARC, in the cervical, middle and apical thirds. Teeth were cross-sectioned at a length of 17 mm. The glass fiber pins were cemented with the four types of self-adhesive cements (N = 20 each) and the conventional resin cement (N = 20). The specimens from each of the cementation protocols were subdivided into 2 subgroups (N = 10 each) according to the evaluation period. After being submitted to the push-out test, the data obtained were subjected to one-way ANOVA and Tukey's tests, with a 5% significance level being considered. The bond strength decreased in all cementation systems, but there is no difference between the self-adhesive resin cements after 12 months. However, the system with conventional resin cement and 3-step total-etching adhesive (ARC) showed higher bond strength than the self-etching cementation system, regardless of the analysis period.

Descrição

Palavras-chave

Cimentos de resina, Pinos dentários, Cimentos dentários, Resin cements, Dental pins, Dental cements

Como citar