Susceptibilidade do Staphylococcus aureus à terapia fotodinâmica (PDT)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2013

Orientador

Fontana, Carla Raquel

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Farmácia-Bioquímica - FCFAR

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Trabalho de conclusão de curso

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

A terapia fotodinâmica (PDT), de maneira simplificada pode ser aplicada utilizando um fotossensibilizador (FS) e uma fonte de luz com comprimento de onda específico, que combinados na presença do oxigênio produzem espécies citotóxicas que causam o dano celular. O objetivo deste estudo piloto foi verificar a susceptibilidade de Staphylococcus aureus (ATCC 25923) à PDT, empregando diferentes concentrações de azul de metileno. As amostras desta bactéria foram sensibilizadas com azul de metileno nas concentrações de 6,25 μg/mL; 12,5 μg/mL; 25,0 μg/mL; 50,0 μg/mL; 100,0 μg/mL e 200,0 μg/mL e expostas à luz LED vermelha (660nm) por 20 minutos. Após o tratamento de todos os grupos estudados a fração de sobrevivência foi calculada pela contagem das unidades formadoras de colônia (UFC). O resultado deste estudo mostrou que o fotossensibilizador no escuro foi tóxico (dark toxicity) nas concentrações de 100 e 200 μg/mL. Já no grupo onde utilizamos apenas a luz, não houve redução bacteriana significativa. Entretanto, o uso combinado do AM e da luz LED (Grupo PDT) mostrou que todas as concentrações testadas causaram uma redução significativa de S aureus. Desta forma concluímos que a terapia fotodinâmica antimicrobiana pode ser um tratamento alternativo para redução de Staphylococcus aureus.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

HORI, Leda Yumi. Susceptibilidade do Staphylococcus aureus à terapia fotodinâmica (PDT). 2013. 61 f. , 2013.

Financiadores