Percepção de pacientes HIV-positivos de um centro de referência em relação a tratamento de saúde

Nenhuma Miniatura disponível

Data

2010

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso restrito

Resumo

Resumo (inglês)

Introduction: health professionals, in many cases, have defensive and exclusionary practices, patterns of prejudice and discrimination in response to HIVpositive patients. Objective: to verify the perception of patients seropositives from a reference center for STD/HIV/aids in relation to health care. Methods: there were interviews with questions related to discriminatory attitudes suffered, access and health care. Results: 130 individuals participated in the survey, from which 30 (23.1%) reported events of discrimination suffered outside the center of reference, predominantly from surgeon-dentists and 112 (86.2%) believed to have the same access and health care as other citizens. 62 (47.7%) treated with the dental center of reference, of which 56 (90.3%) felt good being treated in a dental unit only for HIV positive and six (9.7%) were indifferent, believed to be more exposed, or have a bias to attend dental seropositive individuals. Conclusion: it is concluded that many patients have already been discriminated against outside the reference center. However, most of them have a positive feeling towards the treatment received at a specifi c place for treating HIV-positive patients, due to the feeling of being welcome at that place due to the humanization and access to health care.

Resumo (português)

Introdução: os profi ssionais de saúde, em muitos casos, apresentam práticas defensivas e excludentes, características do preconceito e da discriminação, no atendimento a pacientes HIV-positivo. Objetivo: verifi car a percepção de pacientes soropositivos de um centro de referência para DST/HIV/aids em relação a tratamentos de saúde. Métodos: realizaram-se entrevistas com perguntas relacionadas às atitudes discriminatórias sofridas, acesso e assistência à saúde. Resultados: participaram da pesquisa 130 indivíduos, dos quais 30 (23,1%) relataram eventos de discriminação sofrida fora do centro de referência, predominantemente do cirurgião-dentista e 112 (86,2%) acreditavam ter o mesmo acesso e assistência à saúde que outros cidadãos. Sessenta e dois (47,7%) tratavam-se com o dentista do centro de referência, sendo que destes, 56 (90,3%) achavam bom serem atendidos em uma unidade odontológica somente para HIV-positivo e seis (9,7%) mostraram-se indiferentes, acreditavam estar mais expostos, ou ser preconceito haver um dentista para atender indivíduos soropositivos. Conclusão: conclui-se que muitos pacientes já foram discriminados fora do centro de referência. Porém, a maioria apresenta um sentimento positivo ao tratamento recebido num local específi co para pacientes HIV-positivo, devido ao acolhimento compreendido pela humanização e acesso aos serviços de saúde.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

DST. Jornal Brasileiro de Doenças Sexualmente Transmissíveis, v. 21, n. 3, p. 107-110, 2010.

Itens relacionados

Financiadores