Saúde indígena e os impactos provocados pelo Covid-19 nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas de Mato Grosso.

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-12-01

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Os povos indígenas, considerados como um grupo vulnerável, são alvo de atenção global em várias afecções, e em especial em tempos de pandemia da Covid-19, onde a situação tornou-se ainda mais preocupante. O objetivo neste estudo foi analisar os dados epidemiológicos da Covid-19 nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI) do estado de Mato Grosso, e da vacinação no combate a pandemia nas comunidades indígenas do estado. Trata-se de um estudo ecológico, quantitativo e de análise documental de dados divulgados pela Secretaria de Saúde Indígena (SESAI) do Ministério da Saúde do Brasil. Foram coletados dados sobre a Covid- 19 disponíveis nos sistemas públicos da Secretaria de Saúde Indígena (SESAI) notificados nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), bem como o número de Unidades Básicas de Saúde Indígenas localizadas nos distritos do estado. Foram analisados no período de Março de 2020 à Julho de 2021 os números de casos confirmados, descartados, e dos óbitos causados pela Covid-19 no período anterior e após o início da vacinação contra a Covid-19. A população indígena foi incluída como grupo prioritário nas campanhas de imunização contra a doença no início de 2021. No estado de Mato Grosso, de acordo com o IBGE, há 54399 indígenas. Em relação ao número de Unidades Básicas de Saúde Indígena, o estado possui 176. O número de casos de Covid-19 entre Março e Novembro de 2020 foi de 4441, e de óbitos 105. No ano de 2021, de Janeiro a Julho, o percentual de imunizados com a primeira dose da vacina nos DSEIs do estado foi alto, com 96% de imunizados no Distrito Vilhena, 90% no distrito Cuiabá, 85% no Distrito Xavante, 79% no Distrito Xingu, 71% no Distrito Kaiapó e 59% no Distrito Araguaia. No total, o número de casos confirmados da doença no período, chegou a 1502, e o número de óbitos foi de 19. Medidas de prevenção e educação em saúde e a inclusão dos indígenas como grupo prioritário foram determinantes para redução de casos e óbitos provocados pela Covid-19 .
Indigenous peoples, considered as a vulnerable group, are the target of global attention in various conditions, and especially in times of the Covid-19 pandemic, where the situation has become even more worrying. The aim of this study was to analyze the epidemiological data of Covid-19 in the Special Indigenous Sanitary Districts (DSEI) of the state of Mato Grosso, and of vaccination in the fight against the pandemic in the state's indigenous communities. This is an ecological, quantitative and documentary analysis study of data released by the Indigenous Health Secretariat (SESAI) of the Ministry of Health of Brazil. Data were collected on Covid- 19 available in the public systems of the Secretariat of Indigenous Health (SESAI) notified in the Special Indigenous Health Districts (DSEI), as well as the number of Basic Indigenous Health Units located in the districts of the state. The numbers of confirmed cases, discarded, and deaths caused by Covid-19 in the period before and after the start of vaccination against Covid-19 were analyzed in the period from March 2020 to July 2021. The indigenous population was included as a priority group in immunization campaigns against the disease in early 2021. In the state of Mato Grosso, according to the IBGE, there are 54399 indigenous people. Regarding the number of Basic Indigenous Health Units, the state has 176. The number of Covid-19 cases between March and November 2020 was 4441, and 105 deaths. In 2021, from January to July, the The percentage of those immunized with the first dose of the vaccine in the state's DSEIs was high, with 96% of those immunized in the Vilhena District, 90% in the Cuiabá District, 85% in the Xavante District, 79% in the Xingu District, 71% in the Kaiapó District and 59 % in the Araguaia District. In total, the number of confirmed cases of the disease in the period reached 1502, and the number of deaths was 19. Prevention and health education measures and the inclusion of indigenous people as a priority group were decisive for the reduction of cases and induced deaths. by Covid-19.

Descrição

Palavras-chave

Covid-19, Saúde de populações indígenas, Prevenção de doenças, Disease prevention

Como citar