Avaliação da biocompatibilidade de implantes de silicone gel em subcutâneo de ratos: estudo histomorfométrico

Resumo

Objective: Histomorphometric study to evaluate the biological tissue compatibility of silicone implants suitable for plastic surgery. Methods: Thirty Wistar white rats received subcutaneous implants ande the revestiment of silicone gel Silimed, and randomized into six groups of five animals each, according to the type of implanted material and the time of sacrifice. Eight areas of 60.11 mm2 corresponding to the obtained surgical pieces were analyzed, counting mesenchymal cells, eosinophils, and foreign body giant cells, observing an acceptable biocompatibility in all implants, for subsequent statistical analysis by Tukey test. Results: Silicone gel showed inflammation slightly greater than for other groups, with tissue reactions varying from light to moderate, whose result was the formation of a fibrous capsule around the material, recognized by the organism as a foreign body. Conclusion: In general, it is possible to affirm that silicone gel had acceptable levels of biocompatibility, confirmed the rare presence of foreign body giant cells, and when of the rupture, formed a fibrous capsule around the material, separating the material of the organism.
Objetivo: Avaliar histomorfometricamente a compatibilidade biológica tecidual de implantes de silicone indicados para cirurgia plástica. Métodos: Trinta ratos albinos Wistar foram implantados subcutaneamente com silicone gel, da marca Silimed®, e de seu revestimento, sendo distribuídos aleatoriamente em seis grupos de cinco animais cada, de acordo com o tipo de material implantado e data dos sacrifícios. Oito áreas de 60,11 mm2 correspondentes às peças cirúrgicas obtidas foram analisadas, contando-se as células mesenquimais, inflamatórias mononucleares, eosinófilos e as células gigantes do tipo corpo estranho, para posterior análise estatística pelo teste de Tukey. Resultados: O silicone gel apresentou processo inflamatório ligeiramente maior em relação aos outros grupos, com rea- ções tissulares de intensidade leve a moderada, cujo resultado foi uma cápsula fibrosa contornando o material que foi reconhecido pelo organismo como corpo estranho. Conclusão: Pode-se afirmar que o silicone gel apresentou níveis aceitáveis de biocompatibilidade, confirmada pela rara presença de células gigantes do tipo corpo estranho, e que, quando rompido, forma-se uma cápsula fibrosa ao redor do material, funcionando como barreira biológica e separando-o do organismo.

Descrição

Palavras-chave

Silicone gels, Maxillofacial prosthesis, Biocompatibility, Géis de silicone, Prótese maxilofacial, Biocompatibilidade

Como citar

Revista da Faculdade de Odontologia - UPF, v. 16, n. 1, p. 69-74, 2011.