A mulher na fábrica de sapatos: trabalho e gênero na indústria calçadista de Franca (SP)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2003-10-01

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Este estudo focaliza os impactos da reestruturação produtiva sobre a divisão sexual do trabalho na indústria calçadista de Franca, interior paulista. Ancora-se nas categorias analíticas classes sociais e relações sociais de sexo/gênero e tem como hipótese que o capitalismo contemporâneo, para assegurar o processo de acumulação, vale-se de uma reestruturação produtiva e de diversos mecanismos, dentre os quais, formas específicas de exploração e dominação, a exemplo da estabelecida entre sexos, que potencializam sua capacidade produtiva e garantem a reprodução do sistema. O estudo procura, então, desvendar seus reflexos sobre as relações sociais de sexo em um espaço empírico; investiga, por meio de estudo de caso, sua incidência em uma unidade fabril, retratando as repercussões sobre as operárias que nela trabalham. A pesquisa retrata, também, as estratégias utilizadas pelas trabalhadoras para conciliar as atividades fabril e doméstica, bem como as suas formas de inserção e participação no espaço público. Percorre, ainda, os meandros da cotidianidade, das representações, da subjetividade da sapateira. A análise da problemática permite-nos perceber como a empresa pesquisada assegura a sua sobrevivência no competitivo mercado globalizado, por meio de maior produtividade com menores custos, o que, em larga medida, é possibilitado pela divisão sexual e exploração do trabalho, não raro, veladas pela naturalização do social e por laços paternalistas de cooperação e parceria.
This study focus on the impacts of the productive re-structure on the sexual division of work in the shoe industry of Franca, in the province of the state of São Paulo. It is based upon the analytic categories of social classes and social relationships of sex and it holds the hypothesis that contemporary capitalism to ensure the accumulation process uses the productive re-structure and a variety of devices, among other things, specific means of exploitation and controlling, like the one settled between sexes that performs their productive capability and answers for the continuity of such system. Then the study tries to unmask its effects on the social relationships of sex in an empirical aspect; inquires, by means of studying a case, its incidence in an industrial unity, showing the effects on its female workers. The research also describes the strategies used by the female workers to adjust industrial and domestic chores as well as taking part in public activities. It still examines the entanglements of daily life, interpretations and subjectivity of the female shoe worker. The analysis of the question made it possible to realize how the researched industry guarantees its own survival in the global competitive market, by higher productivity with low cost which is, in large scale, allowed by sexual division and work exploitation, not rarely, masked by the social re-occurrence and by paternal controlling ties of cooperation and partnership.

Descrição

Palavras-chave

Mulheres - Emprego, Calçados - Indústria - Franca (SP), Classes sociais, Sociologia, Social classes, Shoe industry, factory

Como citar

TOMAZINI, Maria Lúcia Vannuchi. A mulher na fábrica de sapatos: trabalho e gênero na indústria calçadista de Franca (SP). 2003. 313 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, 2003.